Equipa técnica das Obras Públicas trabalha quinta-feira no Dondo

  • Chuva provoca estragos na cidade do Dondo (Cuanza Norte)
Cambambe – Técnicos do Ministério das Obras Públicas e Ordenamento do Território trabalham quinta-feira na cidade do Dondo, município de Cambambe, província do Cuanza Norte, para avaliar a reparação de duas pontes danificadas pela chuva no sábado passado.

Em declaraçoes à imprensa, segunda-feira, no Dondo, o ministro das Obras Públicas e Ordenamentodo Território, Manuel Tavares de Almeida, disse, sem avançar data, que os trabalhos para a recuperação das pontes sobre os rios Capacala e Mueji iniciam nos próximos dias.

Devido à  chuva,  a ponte sobre o rio Capacala, que liga a cidade ao bairro Cacesse, ficou completamente destruída, interrompendo, por mais de 24 horas, a circulação rodoviária na estrada nacional 230, entre Luanda e as províncias do norte e sul do país, passando pelo Dondo, entretanto já reposta.

Ficou também destruída parcialmente a ponte sobre o rio Mueji, no troço Dondo/Ndalatando, permitindo apenas a passagem de viaturas ligeiras.

Do registo dos danos, consta a morte de duas mulheres e o desalojamento de 870 famílias, das quais mais de 500 continuam ao relento e sem assistência.

A ANGOP constatou segunda-feira que algumas famílias já regressaram às suas residências, enquanto outras se abrigaram em casas de familiares ou arrendaram.
 

 

 

Em declaraçoes à imprensa, segunda-feira, no Dondo, o ministro das Obras Públicas e Ordenamentodo Território, Manuel Tavares de Almeida, disse, sem avançar data, que os trabalhos para a recuperação das pontes sobre os rios Capacala e Mueji iniciam nos próximos dias.

Devido à  chuva,  a ponte sobre o rio Capacala, que liga a cidade ao bairro Cacesse, ficou completamente destruída, interrompendo, por mais de 24 horas, a circulação rodoviária na estrada nacional 230, entre Luanda e as províncias do norte e sul do país, passando pelo Dondo, entretanto já reposta.

Ficou também destruída parcialmente a ponte sobre o rio Mueji, no troço Dondo/Ndalatando, permitindo apenas a passagem de viaturas ligeiras.

Do registo dos danos, consta a morte de duas mulheres e o desalojamento de 870 famílias, das quais mais de 500 continuam ao relento e sem assistência.

A ANGOP constatou segunda-feira que algumas famílias já regressaram às suas residências, enquanto outras se abrigaram em casas de familiares ou arrendaram.