Catoca anuncia exames laboratorias dos rejeitados em 30 dias

  • Tubo do sistema de drenagem da bacia de rejeitados da Catoca
Luanda - Os exames laboratoriais do vazamento dos rejeitados, ocorrida a 27 de Julho deste ano, no sistema de drenagem da bacia do rio Lova e adjacente, serão conhecidos dentro de 30 dias, anunciou hoje a Sociedade Mineira de Catoca (SMC).

 Trata-se do vazamento de polpa derivado da ruptura na conduta,  que funciona como vertedor, no sistema de drenagem da bacia do rio Lova e adjacente, que já  se encontra completamente estancada.

Em declarações à imprensa, o chefe de departamento de segurança e ambiente no trabalho da Catoca, Sabido Cokeia, precisou que os resultados a serem obtidos daqui a trinta dias, passa dentre outros objectivos, a aferir a qualidade da água do vazamento,  por forma a descartar qualquer elemento impróprio.

Porém, reiterou que até ao momento não se verificou a presença de metais pesados na água dos rios afectados pelo vazamento de polpa da bacia de rejeitados, na Lunda Sul.

Conforme a entidade, nesta altura,  realiza-se o processo de reposição natural dos ecossistemas dos rios afectados.

Na ocasião, o responsável frisou que os rejeitados contêm apenas misturas de rochas naturais, como areia e argila, e a composição da matéria corresponde a aproximadamente aos fluxos de lama na estação chuvosa e não contém componentes químicos externos.

"Quando registamos o incidente, a nossa equipa agiu imediatamente para estancar a ruptura e, até ao final de Julho, o processo ficou normalizado", explica.

Informo que o resultado vão ser conhecidos tendo em conta a auditoria auditoria independente  composta por estruturas hidráulicas e outras instalações de produção, com o envolvimento de especialistas internacionais, para identificar e eliminar o risco de incidentes semelhantes no futuro, uma acção recomendada pela Comissão Multissectorial que acompanha a realização do trabalho ainda em curso.

A SMC reafirmou  o seu compromisso de responsabilidade sócio-ambiental, primando por boas práticas de gestão de projectos mineiros. Aliado ao respeito do Código Mineiro, a Lei de Base do Ambiente e  as Leis complementares, tendo em conta o alinhamento com as autoridades ambientais, e o cumprimento das regras e situações registadas.

A Sociedade Mineira de Catoca situada, na província da Lunda Sul, é opera a quarta maior mina do mundo, com  exploração a céu aberto, sendo que responde, por mais de 75% da produção de diamantes do país.

 Trata-se do vazamento de polpa derivado da ruptura na conduta,  que funciona como vertedor, no sistema de drenagem da bacia do rio Lova e adjacente, que já  se encontra completamente estancada.

Em declarações à imprensa, o chefe de departamento de segurança e ambiente no trabalho da Catoca, Sabido Cokeia, precisou que os resultados a serem obtidos daqui a trinta dias, passa dentre outros objectivos, a aferir a qualidade da água do vazamento,  por forma a descartar qualquer elemento impróprio.

Porém, reiterou que até ao momento não se verificou a presença de metais pesados na água dos rios afectados pelo vazamento de polpa da bacia de rejeitados, na Lunda Sul.

Conforme a entidade, nesta altura,  realiza-se o processo de reposição natural dos ecossistemas dos rios afectados.

Na ocasião, o responsável frisou que os rejeitados contêm apenas misturas de rochas naturais, como areia e argila, e a composição da matéria corresponde a aproximadamente aos fluxos de lama na estação chuvosa e não contém componentes químicos externos.

"Quando registamos o incidente, a nossa equipa agiu imediatamente para estancar a ruptura e, até ao final de Julho, o processo ficou normalizado", explica.

Informo que o resultado vão ser conhecidos tendo em conta a auditoria auditoria independente  composta por estruturas hidráulicas e outras instalações de produção, com o envolvimento de especialistas internacionais, para identificar e eliminar o risco de incidentes semelhantes no futuro, uma acção recomendada pela Comissão Multissectorial que acompanha a realização do trabalho ainda em curso.

A SMC reafirmou  o seu compromisso de responsabilidade sócio-ambiental, primando por boas práticas de gestão de projectos mineiros. Aliado ao respeito do Código Mineiro, a Lei de Base do Ambiente e  as Leis complementares, tendo em conta o alinhamento com as autoridades ambientais, e o cumprimento das regras e situações registadas.

A Sociedade Mineira de Catoca situada, na província da Lunda Sul, é opera a quarta maior mina do mundo, com  exploração a céu aberto, sendo que responde, por mais de 75% da produção de diamantes do país.