Catoca apoia projectos sociais com mais de 980 AKZ milhões

Saurimo - Novecentos e 82 milhões de Kwanzas foram disponibilizados pela Sociedade Mineira de Catoca, para implementação de quatro programas sociais estratégicos na Lunda Sul, informou quarta-feira, em Saurimo, o coordenador dos projectos da Fundação Brilhante, Flávio Fernandes.

Tratam-se dos programas “Catoca Académico”, “Catoca Aluno”, “Credito à Mulher Rural ” e “Jovem Empreendedor” ,que começam a ser implementados a partir de Janeiro de 2021, visando a melhoria da qualidade de vida da população.

Os programas relacionados com a educação são cíclicos e na medida que uns forem saindo, outros entram, enquanto o crédito mulher rural e jovem empreendedor serão anuais.

A serem implementados pela Fundação Brilhante, Governo da Província da Lunda Sul e o Banco Sol, enquanto operador do sector financeiro, os programas vão beneficiar um total de dois mil e 180 pessoas, sendo 40 jovens empreendedores, 140 estudantes, mil crianças e igual número de mulheres rurais.

Cada empreendedor irá beneficiar de um crédito de três milhões de kwanzas, as mulheres rurais 36 mil kwanzas, de igual modo cada criança anualmente vai receber 120 mil kwanzas.

Para a licenciatura no exterior, os bolseiros vão receber, mensalmente, 524 mil kwanzas, internamente 36 mil kwanzas, pós graduação externa 785 mil kwanzas mensalmente.

Ao preceder à apresentação pública dos referidos programas à sociedade civil na Lunda Sul, o coordenador dos Projectos da Fundação Brilhante, Flávio Fernandes, fez saber que os desígnios foram desenvolvidos na perspectiva de um reforço das acções em curso, no âmbito da responsabilidade social da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama).

Explicou que o programa “Catoca Académico” visa apoiar os jovens estudantes a continuarem os seus estudos, nos níveis de licenciatura e pós graduação dentro e fora do país, enquanto “Catoca Aluno”  tem como fito contribuir na erradicação da evasão escolar, criando condições para que as crianças terminem com sucesso a sua formação.

Acrescentou que o “Empreendedor Catoca” propõe-se apoiar jovens com iniciativas empreendedoras de modos a influenciar a criação do auto emprego através de iniciativas geradoras de renda, e o “ Crédito à Mulher Rural Catoca”, afigura-se como uma oportunidade da mulher, formalizar a sua actividade em diferentes programas de fomento agrícola.

Por sua vez, o coordenador dos programas sociais, da Sociedade Mineira de Catoca, Marcos Martins, disse que a apresentação dos referidos programas constituem o reafirmar do compromisso das empresas diamantíferas com o desenvolvimento da região.

Quanto aos critérios de acesso aos programas, disse que os jovens empreendedores e os interessados deverão fazer a inscrição no Gabinete provincial da Juventude e Desporto, para o efeito.

Por seu turno, o secretário Executivo do Conselho Provincial da Juventude na Lunda Sul (CPJ), Salmo Candala, satisfeito com a apresentação dos referidos programas, sobretudo pelo facto dos mesmos contemplarem a juventude que muito clama por incentivos do género e empregabilidade.

Localizada na Província da Lunda sul, a Sociedade Mineira de Catoca (SMC) é a quarta maior mina do mundo a céu aberto, responsável por 80% cento da produção de diamantes no país e garante cinco mil empregos directos e indirectos.

 

Tratam-se dos programas “Catoca Académico”, “Catoca Aluno”, “Credito à Mulher Rural ” e “Jovem Empreendedor” ,que começam a ser implementados a partir de Janeiro de 2021, visando a melhoria da qualidade de vida da população.

Os programas relacionados com a educação são cíclicos e na medida que uns forem saindo, outros entram, enquanto o crédito mulher rural e jovem empreendedor serão anuais.

A serem implementados pela Fundação Brilhante, Governo da Província da Lunda Sul e o Banco Sol, enquanto operador do sector financeiro, os programas vão beneficiar um total de dois mil e 180 pessoas, sendo 40 jovens empreendedores, 140 estudantes, mil crianças e igual número de mulheres rurais.

Cada empreendedor irá beneficiar de um crédito de três milhões de kwanzas, as mulheres rurais 36 mil kwanzas, de igual modo cada criança anualmente vai receber 120 mil kwanzas.

Para a licenciatura no exterior, os bolseiros vão receber, mensalmente, 524 mil kwanzas, internamente 36 mil kwanzas, pós graduação externa 785 mil kwanzas mensalmente.

Ao preceder à apresentação pública dos referidos programas à sociedade civil na Lunda Sul, o coordenador dos Projectos da Fundação Brilhante, Flávio Fernandes, fez saber que os desígnios foram desenvolvidos na perspectiva de um reforço das acções em curso, no âmbito da responsabilidade social da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama).

Explicou que o programa “Catoca Académico” visa apoiar os jovens estudantes a continuarem os seus estudos, nos níveis de licenciatura e pós graduação dentro e fora do país, enquanto “Catoca Aluno”  tem como fito contribuir na erradicação da evasão escolar, criando condições para que as crianças terminem com sucesso a sua formação.

Acrescentou que o “Empreendedor Catoca” propõe-se apoiar jovens com iniciativas empreendedoras de modos a influenciar a criação do auto emprego através de iniciativas geradoras de renda, e o “ Crédito à Mulher Rural Catoca”, afigura-se como uma oportunidade da mulher, formalizar a sua actividade em diferentes programas de fomento agrícola.

Por sua vez, o coordenador dos programas sociais, da Sociedade Mineira de Catoca, Marcos Martins, disse que a apresentação dos referidos programas constituem o reafirmar do compromisso das empresas diamantíferas com o desenvolvimento da região.

Quanto aos critérios de acesso aos programas, disse que os jovens empreendedores e os interessados deverão fazer a inscrição no Gabinete provincial da Juventude e Desporto, para o efeito.

Por seu turno, o secretário Executivo do Conselho Provincial da Juventude na Lunda Sul (CPJ), Salmo Candala, satisfeito com a apresentação dos referidos programas, sobretudo pelo facto dos mesmos contemplarem a juventude que muito clama por incentivos do género e empregabilidade.

Localizada na Província da Lunda sul, a Sociedade Mineira de Catoca (SMC) é a quarta maior mina do mundo a céu aberto, responsável por 80% cento da produção de diamantes no país e garante cinco mil empregos directos e indirectos.