Conflitos de terra inviabilizam investimentos privados no Kwanza Norte

Ndalatando – A província do Cuanza Norte regista actualmente um aumento significativo de conflitos de terras entre investidores privados e populares que tendem a inviabilizar a actividade dos empresários, sobretudo no ramo agrícola, por se considerarem proprietários originários dos espaços, informou nesta quarta-feira, o comandante provincial da Policia Nacional, Comissário António da Conceição Neto.

De acordo com o comandante, esta situação tem estado a obrigar a intervenção permanente da corporação, face à intenção de alguns cidadãos em sabotar a actividade e meios dos investidores.

O responsável disse ser preocupante o facto de os empresários estarem munidos de títulos de concepção de terra, mas os cidadãos locais impedem a acção de investimento, mesmo sabendo que tal intenção constitui uma via de criação de empregos directos e promoção do desenvolvimento local.

O comandante que falava no quadro de um encontro de cortesia com a nova delegada da Angop no Cuanza Norte, Isabel Canhanga, apontou os municípios de Cambambe, Lucala e Ambaca, como sendo os mais visados em termos de conflitos de terra, que muitas contam com a participação de funcionários administrativos de alto escalão.

“É de lamentar a falta de cooperação da população em acolher investimentos privados na província, como a implementação de projectos agrícolas em grande escala, numa iniciativa de fomento ao emprego, promoção da auto-suficiência alimentar da região, combate à fome e à pobreza, entre outras”,  ressaltando que os cidadãos reclamam  pelo fraco desenvolvimento da província e ao mesmo tempo tentam inviabilizar.

.Assegurou que a Polícia Nacional no Cuanza Norte vai continuar a promover a segurança dos bens e integridade física dos investidores, a par de reforçar o diálogo com a população a fim de se abster de  acções criminosas de sabotagem e danificação de bens alheios.

António Neto destacou o potencial da província em termos de água em abundância, clima e terras férteis para promoção da agricultura em grande escala, uma realidade que tem estado a atrair investidores, mas com resultados fracassados devido ao permanente conflito de terras com a população local.

Por outro lado, caracterizou de positiva a cooperação com os órgãos da comunicação social e que a Polícia Nacional no Cuanza Norte estará sempre aberta para espelhar a realidade permanente da situação de segurança pública, no quadro da parceria estratégica estabelecida com os mídia da província.

 

 

De acordo com o comandante, esta situação tem estado a obrigar a intervenção permanente da corporação, face à intenção de alguns cidadãos em sabotar a actividade e meios dos investidores.

O responsável disse ser preocupante o facto de os empresários estarem munidos de títulos de concepção de terra, mas os cidadãos locais impedem a acção de investimento, mesmo sabendo que tal intenção constitui uma via de criação de empregos directos e promoção do desenvolvimento local.

O comandante que falava no quadro de um encontro de cortesia com a nova delegada da Angop no Cuanza Norte, Isabel Canhanga, apontou os municípios de Cambambe, Lucala e Ambaca, como sendo os mais visados em termos de conflitos de terra, que muitas contam com a participação de funcionários administrativos de alto escalão.

“É de lamentar a falta de cooperação da população em acolher investimentos privados na província, como a implementação de projectos agrícolas em grande escala, numa iniciativa de fomento ao emprego, promoção da auto-suficiência alimentar da região, combate à fome e à pobreza, entre outras”,  ressaltando que os cidadãos reclamam  pelo fraco desenvolvimento da província e ao mesmo tempo tentam inviabilizar.

.Assegurou que a Polícia Nacional no Cuanza Norte vai continuar a promover a segurança dos bens e integridade física dos investidores, a par de reforçar o diálogo com a população a fim de se abster de  acções criminosas de sabotagem e danificação de bens alheios.

António Neto destacou o potencial da província em termos de água em abundância, clima e terras férteis para promoção da agricultura em grande escala, uma realidade que tem estado a atrair investidores, mas com resultados fracassados devido ao permanente conflito de terras com a população local.

Por outro lado, caracterizou de positiva a cooperação com os órgãos da comunicação social e que a Polícia Nacional no Cuanza Norte estará sempre aberta para espelhar a realidade permanente da situação de segurança pública, no quadro da parceria estratégica estabelecida com os mídia da província.