Conselho de Estatística analisa censo geral para 2024

  • Ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos
Luanda - A primeira reunião extraordinária do Conselho Nacional de Estatística (CNEST) está a analisar, nesta terça-feira, o Recenseamento Geral da população e Habitação de Angola previsto para 2024, que começa a ser preparado a partir deste ano.

A reunião decorre on line e sem acesso a jornalistas, mas no final saírá um comunicado. Entre outros assuntos, vai abordar a classificação das actividades económicas de Angola, além de apresentar o relatório das actividades de 2020 e do 1º trimestre de 2021.

Sob orientação do ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, os membros vão apreciar a proposta do Plano de Acção do Sistema Estatístico Nacional de 2022-2025.

No fórum realizado em Fevereiro deste ano, Sérgio Santos anunciou o arranque, a partir deste ano, dos preparativos para a realização, “sem sobressaltos”, do Recenseamento Geral da População e Habitação de Angola, Censo 2024.

Referiu, na altura, que o arranque dos preparativos do Censo 2024 consta do Plano Anual do Sistema Estatístico Nacional (SEN) para o exercício económico 2021, aprovado pelo Conselho.

Para o Censo 2024, que vai contar com o apoio de parceiros internacionais, quer-se evitar algumas falhas registadas no Censo 2014, entre as quais, a demora na divulgação dos resultados.

O primeiro recenseamento do género, após Angola independente, decorreu de 16 a 31 de Maio de 2014, e os resultados globais definitivos apontavam para uma população nacional acima dos 25,7 milhões de pessoas, número que terá já alterado.

O Conselho Nacional de Estatística, abreviadamente designado CNEST, é o órgão que superiormente orienta e coordena o Censo.

 É presidido pelo ministro da Economia e Planeamento, designado pelo Presidente da República e integra representantes do Banco Nacional de Angola, (BNA) e outros departamentos ministeriais.

 

 

A reunião decorre on line e sem acesso a jornalistas, mas no final saírá um comunicado. Entre outros assuntos, vai abordar a classificação das actividades económicas de Angola, além de apresentar o relatório das actividades de 2020 e do 1º trimestre de 2021.

Sob orientação do ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, os membros vão apreciar a proposta do Plano de Acção do Sistema Estatístico Nacional de 2022-2025.

No fórum realizado em Fevereiro deste ano, Sérgio Santos anunciou o arranque, a partir deste ano, dos preparativos para a realização, “sem sobressaltos”, do Recenseamento Geral da População e Habitação de Angola, Censo 2024.

Referiu, na altura, que o arranque dos preparativos do Censo 2024 consta do Plano Anual do Sistema Estatístico Nacional (SEN) para o exercício económico 2021, aprovado pelo Conselho.

Para o Censo 2024, que vai contar com o apoio de parceiros internacionais, quer-se evitar algumas falhas registadas no Censo 2014, entre as quais, a demora na divulgação dos resultados.

O primeiro recenseamento do género, após Angola independente, decorreu de 16 a 31 de Maio de 2014, e os resultados globais definitivos apontavam para uma população nacional acima dos 25,7 milhões de pessoas, número que terá já alterado.

O Conselho Nacional de Estatística, abreviadamente designado CNEST, é o órgão que superiormente orienta e coordena o Censo.

 É presidido pelo ministro da Economia e Planeamento, designado pelo Presidente da República e integra representantes do Banco Nacional de Angola, (BNA) e outros departamentos ministeriais.