Consórcio americano ganha concurso da Refinaria do Soyo

  • Curso técnico comercial de seguros
Luanda – O Consórcio Quantem ganhou o concurso público internacional de investimento privado para construir, ser proprietário e operar a a futura refinaria do Soyo, na província do Zaire.

O consórcio vencedor é integrado por três empresas norte-americanas, designadamente Quarten LLC, TGT INC, Aurum & Sharp LLC, e a angolana  ATIS-Nebest-Angola.

O concurso, lançado a 24 de Outubro de 2020, prevê a construção de uma refinaria com capacidade de produção de 100 mil barris de petróleo bruto por dia, numa área de 700 hectares.

O secretário de Estado para Petróleo e Gás, José Barroso, que anunciou os resultados do concurso esta segunda-feira, disse terem sido seleccionadas empresas e consórcios.

De acordo com o regulamento do concurso, são elegíveis para a negociação com o Governo angolano os concorrentes com pontuação máxima de 50 pontos e a mínima de 25 pontos, mediante a ordem da classificação.

Trinta e nove (39) empresas submeteram candidaturas, sendo que para a fase final foram apuradas e formalizaram as suas propostas apenas nove (9) consórcios compostos por 17 empresas, com a seguinte ordem de classificação; 1º Quanten LLC (31.5 pontos), 2º CMEC (30.9), 3º Gemcorp (29.9), 4º Satarem (27.4) e 5º SDRC (12.9).

Em 6º lugar ficou a CHC (12.3 pontos), em 7º a Tobako (8.9), seguido do consórcio chinês Jiangsu, que foi desqualificado por desistência. A nona empresa, a ATI-Nebest – Angola, juntou-se ao consórcio vencedor, a Quanten LLC.

O secretário de Estado para o Petróleo e Gás disse que o investidor deve ter idoneidade comprovada e condição jurídica ilesa, com capacidade técnica e financeira para implementar o projecto, que engloba projecção, financiamento, construção e ser proprietário e  operador da refinaria.

José Barroso, frisou ainda que todas as propostas vieram com uma capacidade de refinar 100 mil barris de petróleo por dia, e que os seus produtos serão comercializados prioritariamente no mercado nacional, com a exportação do excedente.

Explicou  que o próximo passo será o início das negociações com o consórcio vencedor, previsto para o dia 29 do corrente mês, para posterior assinatura de contrato de investimento.

Testemunharam o acto o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Pai Querido, representantes de empresas concorrentes, entre outras individualidades.

O consórcio vencedor é integrado por três empresas norte-americanas, designadamente Quarten LLC, TGT INC, Aurum & Sharp LLC, e a angolana  ATIS-Nebest-Angola.

O concurso, lançado a 24 de Outubro de 2020, prevê a construção de uma refinaria com capacidade de produção de 100 mil barris de petróleo bruto por dia, numa área de 700 hectares.

O secretário de Estado para Petróleo e Gás, José Barroso, que anunciou os resultados do concurso esta segunda-feira, disse terem sido seleccionadas empresas e consórcios.

De acordo com o regulamento do concurso, são elegíveis para a negociação com o Governo angolano os concorrentes com pontuação máxima de 50 pontos e a mínima de 25 pontos, mediante a ordem da classificação.

Trinta e nove (39) empresas submeteram candidaturas, sendo que para a fase final foram apuradas e formalizaram as suas propostas apenas nove (9) consórcios compostos por 17 empresas, com a seguinte ordem de classificação; 1º Quanten LLC (31.5 pontos), 2º CMEC (30.9), 3º Gemcorp (29.9), 4º Satarem (27.4) e 5º SDRC (12.9).

Em 6º lugar ficou a CHC (12.3 pontos), em 7º a Tobako (8.9), seguido do consórcio chinês Jiangsu, que foi desqualificado por desistência. A nona empresa, a ATI-Nebest – Angola, juntou-se ao consórcio vencedor, a Quanten LLC.

O secretário de Estado para o Petróleo e Gás disse que o investidor deve ter idoneidade comprovada e condição jurídica ilesa, com capacidade técnica e financeira para implementar o projecto, que engloba projecção, financiamento, construção e ser proprietário e  operador da refinaria.

José Barroso, frisou ainda que todas as propostas vieram com uma capacidade de refinar 100 mil barris de petróleo por dia, e que os seus produtos serão comercializados prioritariamente no mercado nacional, com a exportação do excedente.

Explicou  que o próximo passo será o início das negociações com o consórcio vencedor, previsto para o dia 29 do corrente mês, para posterior assinatura de contrato de investimento.

Testemunharam o acto o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Pai Querido, representantes de empresas concorrentes, entre outras individualidades.