Conta corrente equivale 10,5% do PIB no II trimestre

  • Cidade de Luanda
Luanda - A conta corrente angolana manteve a sua trajectória positiva, no segundo trimestre deste ano, com saldo superavitário na ordem de 1 724,5 milhões de dólares norte-americanos, o equivalente a 10,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

No período homólogo, 2020, a trajectória da conta corrente foi negativa, fixada em USD 1 270,7 milhões, influenciado, entre outros factores, pela queda do preço do barril do petróleo no mercado internacional, devido à pandemia da covid-19.

Não obstante aos resultados, observa-se uma redução na ordem dos USD 291,1 milhões, se comparado com o primeiro trimestre deste ano, em que os números chegaram em USD 2 015,6 milhões, segundo o Banco Nacional de Angola (BNA).

“O aumento das exportações de bens, com realce para o petróleo bruto, decorrente da recuperação do seu preço médio, contribuiu para o desempenho positivo da conta corrente, apesar do ligeiro aumento das importações de bens e serviços”, reporta.

Outro saldo superavitário, registado também no segundo trimestre, foi na conta financeira, com valores na ordem dos USD 1 873,2 milhões, com aumento de 739,2 milhões, em comparação com o primeiro trimestre deste mesmo ano.

De acordo com a publicação do BNA, de quarta-feira, o saldo positivo foi influenciado pelo aumento dos créditos comerciais (activo) e redução dos passivos de dívida e do investimento directo.

No período em referência foram registados, de igual modo, melhorias do défice da posição líquida do investimento internacional, tendo-se cifrado em 31 253,8 milhões de dólares americanos, como resultado do aumento dos activos financeiros na ordem dos 2,3%.

O Banco Central angolano indica ainda que a posição do investimento internacional consentiu, no primeiro trimestre, com défice de USD 32 433,9 milhões.

No período homólogo, 2020, a trajectória da conta corrente foi negativa, fixada em USD 1 270,7 milhões, influenciado, entre outros factores, pela queda do preço do barril do petróleo no mercado internacional, devido à pandemia da covid-19.

Não obstante aos resultados, observa-se uma redução na ordem dos USD 291,1 milhões, se comparado com o primeiro trimestre deste ano, em que os números chegaram em USD 2 015,6 milhões, segundo o Banco Nacional de Angola (BNA).

“O aumento das exportações de bens, com realce para o petróleo bruto, decorrente da recuperação do seu preço médio, contribuiu para o desempenho positivo da conta corrente, apesar do ligeiro aumento das importações de bens e serviços”, reporta.

Outro saldo superavitário, registado também no segundo trimestre, foi na conta financeira, com valores na ordem dos USD 1 873,2 milhões, com aumento de 739,2 milhões, em comparação com o primeiro trimestre deste mesmo ano.

De acordo com a publicação do BNA, de quarta-feira, o saldo positivo foi influenciado pelo aumento dos créditos comerciais (activo) e redução dos passivos de dívida e do investimento directo.

No período em referência foram registados, de igual modo, melhorias do défice da posição líquida do investimento internacional, tendo-se cifrado em 31 253,8 milhões de dólares americanos, como resultado do aumento dos activos financeiros na ordem dos 2,3%.

O Banco Central angolano indica ainda que a posição do investimento internacional consentiu, no primeiro trimestre, com défice de USD 32 433,9 milhões.