Cuanza Norte: Constrangimentos técnicos influenciam execução do PIIM

Ndalatando – A coordenadora nacional do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), Laurinda Monteiro Cardoso, reconheceu, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, que alguns constrangimentos técnicos contribuíram para que a região tivesse “níveis baixos” de execução dos projectos do PIIM.

Os constrangimentos já identificados, salientou, consubstanciam-se na reavaliação dos mapas de quantidade de projectos, em função da depreciação da moeda nacional (o Kwanza) e avaliação de alguns trabalhos efectuados, para se aferir a compatibilidade entre os níveis de execução física e financeira.

Para o efeito, adiantou a responsável, em declarações na quarta-feira, será necessário a inversão de estratégia de acompanhamento e apoio directo das equipas técnicas de âmbito central aos municípios, para melhor controlo da execução dos projectos e gestão das dificuldades.

Laurinda Cardoso falava num encontro com os membros do Governo Provincial e administradores municipais, no quadro de uma visita de constatação e avaliação das obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios, no Cuanza Norte.

Na ocasião, garantiu que com a identificação dos factores estranguladores dos níveis de execução dos projectos na região, a coordenação do PIIM está a trabalhar para que as 52 acções inscritas na carteira da província estejam em plena execução, no primeiro trimestre do ano em curso.

Nesta senda, a responsável apontou o reinício dos trabalhos para a conclusão das obras do Hospital Municipal de Cambambe (capacidae para 60 camas), paralisadas em 2012, cujo projecto passou para o PIIM em 2019, mas até ao momento não retomados.

Apesar desses constrangimentos, a também secretária de Estado da Administração do Território, manifestou-se satisfeita com a qualidade das obras que estão a ser efectuadas nos municípios de Cazengo (sede da província) e Cambambe, onde trabalhou no primeiro dia da visita de 48 horas ao Cuanza Norte.

Para o governador da província, Adriano Mendes de Carvalho, a conclusão do hospital municipal de Cambambe constitui um grande alívio na assistência sanitária das populações na região, por interligar-se a províncias do sul, leste e norte do país.

O dirigente adiantou que o nível de execução física dos projectos do PIIM na província se situa na ordem dos 64 por cento, ao passo que a financeira está fixada nos 60 por cento, por causa dos constrangimentos técnicos, da Covid-19,  que afectou a província e que obrigou a cerca sanitária do município sede da província e a sua capital, Ndalatando.

Sem avançar o valor global das obras, o director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas (GEPE), do Governo Provincial do Cuanza Norte, Edmildo Teixeira, referiu que dos 52 projectos inscritos na primeira fase do PIIM, no Cuanza Norte, apenas dois estão concluídos, 40 em execução e 10 em validação e substituição.

Inicialmente, as obras do PIIM, nesta parte de Angola, estavam avaliadas em 24 mil milhões, 796 milhões, 136 mil e 309 kwanzas para a operacionalização de 91 acções, das quais sete de subordinação central e que foram sendo actualizados em função do contexto e das alterações económicas do país.

Cuanza Norte é uma das 18 províncias de Angola. Esta localizada na região centro-norte do país, conta com cerca de 443 mil 386 habitantes e uma área territorial de 24 mil 110 quilómetros quadrados. A sua capital é Ndalatando, localizada a 190 quilómetros da capital do país, Luanda. 

 

Os constrangimentos já identificados, salientou, consubstanciam-se na reavaliação dos mapas de quantidade de projectos, em função da depreciação da moeda nacional (o Kwanza) e avaliação de alguns trabalhos efectuados, para se aferir a compatibilidade entre os níveis de execução física e financeira.

Para o efeito, adiantou a responsável, em declarações na quarta-feira, será necessário a inversão de estratégia de acompanhamento e apoio directo das equipas técnicas de âmbito central aos municípios, para melhor controlo da execução dos projectos e gestão das dificuldades.

Laurinda Cardoso falava num encontro com os membros do Governo Provincial e administradores municipais, no quadro de uma visita de constatação e avaliação das obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios, no Cuanza Norte.

Na ocasião, garantiu que com a identificação dos factores estranguladores dos níveis de execução dos projectos na região, a coordenação do PIIM está a trabalhar para que as 52 acções inscritas na carteira da província estejam em plena execução, no primeiro trimestre do ano em curso.

Nesta senda, a responsável apontou o reinício dos trabalhos para a conclusão das obras do Hospital Municipal de Cambambe (capacidae para 60 camas), paralisadas em 2012, cujo projecto passou para o PIIM em 2019, mas até ao momento não retomados.

Apesar desses constrangimentos, a também secretária de Estado da Administração do Território, manifestou-se satisfeita com a qualidade das obras que estão a ser efectuadas nos municípios de Cazengo (sede da província) e Cambambe, onde trabalhou no primeiro dia da visita de 48 horas ao Cuanza Norte.

Para o governador da província, Adriano Mendes de Carvalho, a conclusão do hospital municipal de Cambambe constitui um grande alívio na assistência sanitária das populações na região, por interligar-se a províncias do sul, leste e norte do país.

O dirigente adiantou que o nível de execução física dos projectos do PIIM na província se situa na ordem dos 64 por cento, ao passo que a financeira está fixada nos 60 por cento, por causa dos constrangimentos técnicos, da Covid-19,  que afectou a província e que obrigou a cerca sanitária do município sede da província e a sua capital, Ndalatando.

Sem avançar o valor global das obras, o director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas (GEPE), do Governo Provincial do Cuanza Norte, Edmildo Teixeira, referiu que dos 52 projectos inscritos na primeira fase do PIIM, no Cuanza Norte, apenas dois estão concluídos, 40 em execução e 10 em validação e substituição.

Inicialmente, as obras do PIIM, nesta parte de Angola, estavam avaliadas em 24 mil milhões, 796 milhões, 136 mil e 309 kwanzas para a operacionalização de 91 acções, das quais sete de subordinação central e que foram sendo actualizados em função do contexto e das alterações económicas do país.

Cuanza Norte é uma das 18 províncias de Angola. Esta localizada na região centro-norte do país, conta com cerca de 443 mil 386 habitantes e uma área territorial de 24 mil 110 quilómetros quadrados. A sua capital é Ndalatando, localizada a 190 quilómetros da capital do país, Luanda.