Gabinete Provincial da Família sugere criação de centros de apoio a empreendedoras

Cuanza Norte – A directora do Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade de Género sugeriu a criação de centros de produção para apoiar mulheres empreendedoras na fase inicial do negócio.

De acordo com, Victória Braga  em vez da distribuição de kits profissionais, o governo deve optar por criar estes centros onde as mulheres, depois de formadas, devem produzir em beneficio próprio e para a auto sustentabilidade do mesmo.

Informou que, em 2020, a instituição promoveu uma formação na área de pequenos negócios para 54 jovens mulheres nas áreas de pastelaria e cabeleireiro e no final beneficiaram de kits profissionais, mas apenas 25 conseguiram implementar o projecto.

Disse que as mulheres, seleccionadas dos dez municípios da província, mesmo com o acompanhamento dos gabinetes municipais da Acção Social e formação financeira, não conseguiram desenvolver os negócios, porque usaram os meios que recebem para o sustento das suas famílias.

“Em consequência das dificuldades que passam para sustentar as famílias, elas não conseguem desenvolver o negócio", disse, considerando, por este facto, viável a criação de um centro de produção em que os equipamentos ficam sob controlo do gabinete a nível provincial ou municipal.

Victória Braga considerou relevante a formação da mulher na vertente financeira, para ultrapassar esta situação, uma vez que muitas gastam mais do que aquilo que ganham.

A responsável do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, que falava a propósito dos dias Nacional e Internacional da Mulher (2 e 8, respectivamente) disse que na província do Cuanza Norte, a camada feminina carece de apoio para o desenvolvimento de pequenos negócios e na vertente da saúde reprodutiva.

Disse que a instituição carece de meios materiais e financeiros para desenvolver as suas actividades e implementar programas.

“A implementação de programas, particularmente, na vertente da promoção da mulher, requer muitos custos" alertou, explicando que actualmente a instituição tem interagido com as administrações municipais no que diz respeito às politicas de empoderamento das mulheres e promoção do género .

Por fim, reconheceu haver, actualmente, melhorias na situação socioeconómica das mulheres na província.

 

 

De acordo com, Victória Braga  em vez da distribuição de kits profissionais, o governo deve optar por criar estes centros onde as mulheres, depois de formadas, devem produzir em beneficio próprio e para a auto sustentabilidade do mesmo.

Informou que, em 2020, a instituição promoveu uma formação na área de pequenos negócios para 54 jovens mulheres nas áreas de pastelaria e cabeleireiro e no final beneficiaram de kits profissionais, mas apenas 25 conseguiram implementar o projecto.

Disse que as mulheres, seleccionadas dos dez municípios da província, mesmo com o acompanhamento dos gabinetes municipais da Acção Social e formação financeira, não conseguiram desenvolver os negócios, porque usaram os meios que recebem para o sustento das suas famílias.

“Em consequência das dificuldades que passam para sustentar as famílias, elas não conseguem desenvolver o negócio", disse, considerando, por este facto, viável a criação de um centro de produção em que os equipamentos ficam sob controlo do gabinete a nível provincial ou municipal.

Victória Braga considerou relevante a formação da mulher na vertente financeira, para ultrapassar esta situação, uma vez que muitas gastam mais do que aquilo que ganham.

A responsável do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, que falava a propósito dos dias Nacional e Internacional da Mulher (2 e 8, respectivamente) disse que na província do Cuanza Norte, a camada feminina carece de apoio para o desenvolvimento de pequenos negócios e na vertente da saúde reprodutiva.

Disse que a instituição carece de meios materiais e financeiros para desenvolver as suas actividades e implementar programas.

“A implementação de programas, particularmente, na vertente da promoção da mulher, requer muitos custos" alertou, explicando que actualmente a instituição tem interagido com as administrações municipais no que diz respeito às politicas de empoderamento das mulheres e promoção do género .

Por fim, reconheceu haver, actualmente, melhorias na situação socioeconómica das mulheres na província.