Jovens empreendedores apostam no fomento do agro-negócio

Ndalatando – Um grupo de quatro jovens empreendedores está empenhado no fomento do agro-negócio, através da criação de aves (galinhas), produção de ovos e fomento do emprego no município do Lucala, província do Cuanza Norte.

A iniciativa implementada na localidade da Pamba, no município do Lucala, abarca, igualmente, a multiplicação de aves que estão a ser distribuídas às várias famílias rurais residentes nas proximidades do projecto.

O projecto gerou cinco postos de trabalho directos.

O programa conta com duas incubadoras com a capacidade para aquecer e chocar quatro mil e 24 ovos/dia cada.

Em declarações à imprensa, Arsénio Sebastião, um dos empreendedores afecto ao projecto integrado de avicultura familiar orientado para o mercado, referiu que a iniciativa conta com o apoio do Ministério da Agricultura e Pescas.

De acordo com Arsénio Sebastião, além da criação de pintos, o projecto, iniciado em Janeiro deste ano com três mil e 500 aves  distribuídas pelo Ministério da Agricultura e Pescas, está a produzir, actualmente, mil e 500 pintos semanalmente e cerca de quatro mil ovos/dia.

Esta actividade está agora reduzida para a produção de mil e 500 pintos por semana, fruto de algumas cautelas visando assegurar maior durabilidade do aparelho.

As aves produzidas são distribuídas às famílias locais para a criação e comercialização aos criadores interessados.

Já Francisco Barros, outro criador, disse que a iniciativa possibilitou a criação de 10 postos de trabalho. Gera, semanalmente, quatro mil e 200 ovos.

Por seu turno, o ancião Pedro Aguiar, que abraçou a criação de aves há oito meses, conta, actualmente, com um bando de 850 galinhas adultas que têm estado a eclodir 480 ovos/dia.

Segundo os criadores, o preço da comercialização de galinhas aos consumidores varia entre os dois mil e 500 a três mil kwanzas cada, enquanto o cartão de ovos custa dois mil kwanzas.

O projecto conta com 20 naves, 12 das quais em funcionamento e é apoiado pelo Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas que, regularmente, distribui vacinas e ocasionalmente ração.

A unidade sob gestão dos jovens empreendedores encontrava-se abandonada há mais de sete anos, tendo retomado a actividade em Janeiro deste ano, após beneficiar de três mil e 500 pintos em fase de crescimento, para o fomento da actividade avícola na localidade das Pambas, município do Lucala.

A criatividade e capacidade empreendedora demonstradas pelos referidos jovens mereceu a visita, na última quinta-feira, dos Ministros da Agricultura e Pescas, bem como da Indústria e Comércio, Francisco de Assis e Victor Fernandes respectivamente.

Francisco de Assis referiu que o país gasta mais de USD 700 milhões/ ano na importação de frangos e ovos, realidade que poderá ser invertida com o reforço no investimento em projectos locais.

Precisou que o país possui as condições necessárias para o fomento da produção de aves, acção que no seu entender pode ser exercida por um número significativo de cidadãos, sobretudo jovens.

 

 

A iniciativa implementada na localidade da Pamba, no município do Lucala, abarca, igualmente, a multiplicação de aves que estão a ser distribuídas às várias famílias rurais residentes nas proximidades do projecto.

O projecto gerou cinco postos de trabalho directos.

O programa conta com duas incubadoras com a capacidade para aquecer e chocar quatro mil e 24 ovos/dia cada.

Em declarações à imprensa, Arsénio Sebastião, um dos empreendedores afecto ao projecto integrado de avicultura familiar orientado para o mercado, referiu que a iniciativa conta com o apoio do Ministério da Agricultura e Pescas.

De acordo com Arsénio Sebastião, além da criação de pintos, o projecto, iniciado em Janeiro deste ano com três mil e 500 aves  distribuídas pelo Ministério da Agricultura e Pescas, está a produzir, actualmente, mil e 500 pintos semanalmente e cerca de quatro mil ovos/dia.

Esta actividade está agora reduzida para a produção de mil e 500 pintos por semana, fruto de algumas cautelas visando assegurar maior durabilidade do aparelho.

As aves produzidas são distribuídas às famílias locais para a criação e comercialização aos criadores interessados.

Já Francisco Barros, outro criador, disse que a iniciativa possibilitou a criação de 10 postos de trabalho. Gera, semanalmente, quatro mil e 200 ovos.

Por seu turno, o ancião Pedro Aguiar, que abraçou a criação de aves há oito meses, conta, actualmente, com um bando de 850 galinhas adultas que têm estado a eclodir 480 ovos/dia.

Segundo os criadores, o preço da comercialização de galinhas aos consumidores varia entre os dois mil e 500 a três mil kwanzas cada, enquanto o cartão de ovos custa dois mil kwanzas.

O projecto conta com 20 naves, 12 das quais em funcionamento e é apoiado pelo Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas que, regularmente, distribui vacinas e ocasionalmente ração.

A unidade sob gestão dos jovens empreendedores encontrava-se abandonada há mais de sete anos, tendo retomado a actividade em Janeiro deste ano, após beneficiar de três mil e 500 pintos em fase de crescimento, para o fomento da actividade avícola na localidade das Pambas, município do Lucala.

A criatividade e capacidade empreendedora demonstradas pelos referidos jovens mereceu a visita, na última quinta-feira, dos Ministros da Agricultura e Pescas, bem como da Indústria e Comércio, Francisco de Assis e Victor Fernandes respectivamente.

Francisco de Assis referiu que o país gasta mais de USD 700 milhões/ ano na importação de frangos e ovos, realidade que poderá ser invertida com o reforço no investimento em projectos locais.

Precisou que o país possui as condições necessárias para o fomento da produção de aves, acção que no seu entender pode ser exercida por um número significativo de cidadãos, sobretudo jovens.