Namíbia pronta a participar na diversificação económica de Cuanza Norte

  • Cidade de Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte
Ndalatando - Empresários namibianos de diversos sectores da economia estão dispostos a participar no processo de diversificação económica na província do Cuanza Norte, através de investimentos directo ou em parceria, sobretudo no ramo agro-pecuário, declarou hoje o embaixador da Namíbia em Angola, Patrick Nandago.

O diplomata manifestou esta intenção à imprensa, em Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte, à margem de um encontro de cortesia com o governador da província, Adriano Mendes de Carvalho.

Patrick Nandago,  que efectua uma visita de três dias à circunscrição, para constatar as suas potencialidades económicas, além da agricultura e pecuária, apontou o turismo como outra área de eleição dos empresários namibianos.

“A nossa razão de cá vir é obviamente para termos essa firmeza e catapultarmos os empresários do nosso país para começarem a participar na diversificação da economia da província” , frisou

Sem avançar o volume de negócios existente entre os dois países, o diplomata referiu que a situação da pandemia da Covid-19, contribui para a redução das transacções económicas, adiantando que apesar dessa situação, o empresariado namibiano continua a investir no país, nos sectores da mineração, pescas, agricultura e pecuária.  

Patrick Nandago manifestou-se esperançoso na revitalização das trocas comerciais entre Angola e a Namíbia, quando a Covid-19 for  vencida.

Na ocasião, o responsável apresentou Leonel da Rocha Pinto como novo cônsul honorário da Republica da Namíbia em Angola, nas províncias de Malanje, Cuanza Norte e Cuanza Sul, tendo como missão, a promoção dos investimentos entre os dois países, nessas regiões angolanas.

“Gostaríamos de ver o cônsul honorário a promover os produtos angolanos dentro do mercado namibiano e vice-versa”, asseverou.

Leonel da Rocha Pinto indicou que as responsabilidades do cônsul honorário são bem definidas e vai trabalhar para a promoção das trocas comerciais e da cultura entre os dois países, baseando-se na convenção de Viena de 1963.

Disse que os laços históricos que unem os dois povos devem ser bem explorados.

O governador da província, Adriano Mendes de Carvalho  destacou as potencialidades da região, como hídricas, terras aráveis e recursos minerais, pontualizando que  carecem de investimentos de vulto, que contribuam para o desenvolvimento da província e a criação de empregos.

Durante a sua estada na região, Patrick Nandago visitará importantes zonas de produção, empreendimentos económicos, zonas turísticas e locais históricos, nos municípios de Ambaca, Golungo Alto, Cambambe e Lucala.

O diplomata manifestou esta intenção à imprensa, em Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte, à margem de um encontro de cortesia com o governador da província, Adriano Mendes de Carvalho.

Patrick Nandago,  que efectua uma visita de três dias à circunscrição, para constatar as suas potencialidades económicas, além da agricultura e pecuária, apontou o turismo como outra área de eleição dos empresários namibianos.

“A nossa razão de cá vir é obviamente para termos essa firmeza e catapultarmos os empresários do nosso país para começarem a participar na diversificação da economia da província” , frisou

Sem avançar o volume de negócios existente entre os dois países, o diplomata referiu que a situação da pandemia da Covid-19, contribui para a redução das transacções económicas, adiantando que apesar dessa situação, o empresariado namibiano continua a investir no país, nos sectores da mineração, pescas, agricultura e pecuária.  

Patrick Nandago manifestou-se esperançoso na revitalização das trocas comerciais entre Angola e a Namíbia, quando a Covid-19 for  vencida.

Na ocasião, o responsável apresentou Leonel da Rocha Pinto como novo cônsul honorário da Republica da Namíbia em Angola, nas províncias de Malanje, Cuanza Norte e Cuanza Sul, tendo como missão, a promoção dos investimentos entre os dois países, nessas regiões angolanas.

“Gostaríamos de ver o cônsul honorário a promover os produtos angolanos dentro do mercado namibiano e vice-versa”, asseverou.

Leonel da Rocha Pinto indicou que as responsabilidades do cônsul honorário são bem definidas e vai trabalhar para a promoção das trocas comerciais e da cultura entre os dois países, baseando-se na convenção de Viena de 1963.

Disse que os laços históricos que unem os dois povos devem ser bem explorados.

O governador da província, Adriano Mendes de Carvalho  destacou as potencialidades da região, como hídricas, terras aráveis e recursos minerais, pontualizando que  carecem de investimentos de vulto, que contribuam para o desenvolvimento da província e a criação de empregos.

Durante a sua estada na região, Patrick Nandago visitará importantes zonas de produção, empreendimentos económicos, zonas turísticas e locais históricos, nos municípios de Ambaca, Golungo Alto, Cambambe e Lucala.