Delegado do Grupo Castel morre de ataque cardíaco

  • Administrador-delegado do Grupo Castel em Angola, Philippe Frédéric
Luanda - O administrador-delegado do Grupo Castel, em Angola, Philippe Frédéric, faleceu, na  noite de sábado (dia 15), em Luanda,  após ataque cardíaco, soube hoje a ANGOP.

O facto foi anunciado pela Direção do referido grupo e parceiros angolanos, em nota distribuída à imprensa.

De nacionalidade francesa, Philippe Frédéric chegou a Angola, em 1986, tendo participado no desenvolvimento da Indústria Petrolífera Angolana, de acordo com a nota de condolências a que Angop teve acesso neste domingo.

Em 2009, juntou-se ao Grupo Castel como administrador-delegado das empresas em Angola, contribuído para a evolução das actividades do referido grupo, no qual lançou a implementação da fazenda de produção de milho em Malanje.

"Ocupou o leme em crises sucessivas, durante a queda repentina do preço do petróleo e, mais recentemente, durante a luta contra a pandemia do Covid-19, sem nunca perder o optimismo", lê-se na mensagem de condolências.

Em outra mensagem, o  ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, diz ter tomado conhecimento, com muita dor, do falecimento do administrador Delegado do Grupo Castel Angola, Philippe Frédéric.

"Philippe esteve sempre ao lado das grandes e nobres causas de luta para o desenvolvimento do sector industrial, em particular da Indústria de Bebidas, a qual sempre se mostrou um valente e assertivo combatente", expressa o governante.

Face ao sucedido, Victor Fernandes endereça, em nome do colectivo de trabalhadores e colaboradores do Ministério da Indústria e Comércio, os seus  sentimentos de profundo pesar à família enlutada, aos amigos e colegas.

Em solo angolano, Philippe Frédéric também exerceu as funções de Presidente do Conselho Fiscal da Associação das Indústrias de Bebidas de Angola (AIBA).

 

O facto foi anunciado pela Direção do referido grupo e parceiros angolanos, em nota distribuída à imprensa.

De nacionalidade francesa, Philippe Frédéric chegou a Angola, em 1986, tendo participado no desenvolvimento da Indústria Petrolífera Angolana, de acordo com a nota de condolências a que Angop teve acesso neste domingo.

Em 2009, juntou-se ao Grupo Castel como administrador-delegado das empresas em Angola, contribuído para a evolução das actividades do referido grupo, no qual lançou a implementação da fazenda de produção de milho em Malanje.

"Ocupou o leme em crises sucessivas, durante a queda repentina do preço do petróleo e, mais recentemente, durante a luta contra a pandemia do Covid-19, sem nunca perder o optimismo", lê-se na mensagem de condolências.

Em outra mensagem, o  ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, diz ter tomado conhecimento, com muita dor, do falecimento do administrador Delegado do Grupo Castel Angola, Philippe Frédéric.

"Philippe esteve sempre ao lado das grandes e nobres causas de luta para o desenvolvimento do sector industrial, em particular da Indústria de Bebidas, a qual sempre se mostrou um valente e assertivo combatente", expressa o governante.

Face ao sucedido, Victor Fernandes endereça, em nome do colectivo de trabalhadores e colaboradores do Ministério da Indústria e Comércio, os seus  sentimentos de profundo pesar à família enlutada, aos amigos e colegas.

Em solo angolano, Philippe Frédéric também exerceu as funções de Presidente do Conselho Fiscal da Associação das Indústrias de Bebidas de Angola (AIBA).