Diamante rosa transformado em três pedras polidas

  • Diamante cor de rosa
Dundo – A lapidação de um diamante bruto cor-de-rosa de 46 quilates, encontrado em 2018 na mina do Lulo, província da Lunda Norte, deu origem a três pedras “preciosas”, dentre as quais uma em forma de coração de 15.2 quilates.

Segundo uma nota da Endiama E.P. enviada hoje à Angop, a lapidação do referido diamante, que resultou em três foi feita na Bélgica desde o principio do ano em curso, tendo concluído em Novembro. 

A nota acrescenta que os outros dois diamantes resultantes deste processo de lapidação, são duas pedras de 3.3 e 2.3 quilates, respectivamente. 

A principal pedra do grupo foi classificada pelo Gemmological Institute of América (GIA) como tendo coloração rosa alaranjado intenso, com poucas inclusões (grau de clareza VVS1), e excelentes classificações tanto para lapidação como simetria. 

Em reacção à ocorrência, o Presidente do Conselho de Administração da ENDIAMA E.P., Ganga Júnior, avançou que os resultados obtidos a partir deste diamante constituem provas físicas e visíveis do grande potencial da mina do Lulo, que pela qualidade e características dos diamantes que tem produzido, reforça a confiança no futuro da indústria nacional de diamantes. 

Os diamantes cor-de-rosas são raros e constituem menos de 0,1% da produção mundial de diamantes. Com o recente encerramento da famosa mina subterrânea Argyle na Austrália, que produziu 90% dos diamantes cor-de-rosa naturais do mundo, estes diamantes estão prestes a tornar-se ainda mais escassos.

Este, segundo o PCA da Endiama, é um bom prenúncio para a futura venda do diamante rosa polido de 15.2 quilates e outros diamantes derivados desta parceria de lapidação de valor acretivo.

A mina do Lulo, integrada no complexo mineiro do Lucapa, é conhecida pelos diamantes raros e de alta qualidade. Desde o início da sua exploração, em 2010, que se percebeu o potencial de qualidade e quantidade.

Os blocos 6 e 8 foram responsáveis pela produção de 13 das 15 pedras com mais de 100 quilates saídas desta mina, incluindo o maior diamante alguma vez encontrado em Angola (2016), com 404,2 quilates.

Os registos da empresa apontam para a produção de 12 diamantes com mais de 100 quilates.

O Projecto Lulo é operado no âmbito de uma associação em participação, onde a Endiama detém (32%), a Lucapa Diamond Company Limited (40%) e a operadora Rosas & Pétalas (28%).

 

Segundo uma nota da Endiama E.P. enviada hoje à Angop, a lapidação do referido diamante, que resultou em três foi feita na Bélgica desde o principio do ano em curso, tendo concluído em Novembro. 

A nota acrescenta que os outros dois diamantes resultantes deste processo de lapidação, são duas pedras de 3.3 e 2.3 quilates, respectivamente. 

A principal pedra do grupo foi classificada pelo Gemmological Institute of América (GIA) como tendo coloração rosa alaranjado intenso, com poucas inclusões (grau de clareza VVS1), e excelentes classificações tanto para lapidação como simetria. 

Em reacção à ocorrência, o Presidente do Conselho de Administração da ENDIAMA E.P., Ganga Júnior, avançou que os resultados obtidos a partir deste diamante constituem provas físicas e visíveis do grande potencial da mina do Lulo, que pela qualidade e características dos diamantes que tem produzido, reforça a confiança no futuro da indústria nacional de diamantes. 

Os diamantes cor-de-rosas são raros e constituem menos de 0,1% da produção mundial de diamantes. Com o recente encerramento da famosa mina subterrânea Argyle na Austrália, que produziu 90% dos diamantes cor-de-rosa naturais do mundo, estes diamantes estão prestes a tornar-se ainda mais escassos.

Este, segundo o PCA da Endiama, é um bom prenúncio para a futura venda do diamante rosa polido de 15.2 quilates e outros diamantes derivados desta parceria de lapidação de valor acretivo.

A mina do Lulo, integrada no complexo mineiro do Lucapa, é conhecida pelos diamantes raros e de alta qualidade. Desde o início da sua exploração, em 2010, que se percebeu o potencial de qualidade e quantidade.

Os blocos 6 e 8 foram responsáveis pela produção de 13 das 15 pedras com mais de 100 quilates saídas desta mina, incluindo o maior diamante alguma vez encontrado em Angola (2016), com 404,2 quilates.

Os registos da empresa apontam para a produção de 12 diamantes com mais de 100 quilates.

O Projecto Lulo é operado no âmbito de uma associação em participação, onde a Endiama detém (32%), a Lucapa Diamond Company Limited (40%) e a operadora Rosas & Pétalas (28%).