Direitos de produção da Sonangol na ordem dos 220 mil barris dia

  • Presidente do Conselho de Administração da SONANGOL, Gaspar Martins.
Luanda - Os direitos de produção da Sonangol estão estimados, actualmente, em 220 mil barris de petróleo dia (BPD) em diversos blocos, onde em algumas concessões actua como operadora e parceiro, em outras.

De acordo com o presidente do Conselho de  Administração da  petrolífera estatal, Gaspar Martins, a companhia, além dos referidos direitos de produção, mantém a sua estratégia de aumento de exploração e produção de 2 para 10% de participação do mercado até 2027.

Os níveis de produção actuais, em Angola, estão estimados em 1,2 mil BPD.

Gaspar Martins, que interveio nesta segunda-feira, no acto final da cerimónia  de apresentação do processo de desinvestimento parcial em oito blocos petrolíferos, disse ser um processo que  a única diferença  vai  incidir  na redução das receitas do seu interesse participativo.

Ainda no quadro deste processo, a Sonangol augura a entrada de novos “players”  no mercado angolano para actividade de exploração e produção de petróleo e gás.

“Estamos prontos a dar o suporte necessário para atrair o maior  número de investidores nacionais e estrangeiros”,  manifestou Gaspar Martins.

As participações  em alienação parcial estão detidas  em blocos em offshore e onshore, na sua maioria em produção, e outros em exploração e desenvolvimento.

Trata-se dos blocos 03/05 e 4/05, onde a Sonangol vai vender entre 15 a 20% cada,  o 5/06 com 30 a 65% ,  o 15/06 com uma alienação de até 10%.

A lista da Sonangol, apresentada neste dia, integra também os blocos 18, onde se prevê desinvestir até 8,28%, o 23, com uma venda exposta entre 30 a 70%,  igual número para o  27,  e o 31, até 10%.

Investidores nacionais e estrangeiros participaram de forma presencial e virtual na apresentação das potencialidades dos referidos blocos.

De acordo com o presidente do Conselho de  Administração da  petrolífera estatal, Gaspar Martins, a companhia, além dos referidos direitos de produção, mantém a sua estratégia de aumento de exploração e produção de 2 para 10% de participação do mercado até 2027.

Os níveis de produção actuais, em Angola, estão estimados em 1,2 mil BPD.

Gaspar Martins, que interveio nesta segunda-feira, no acto final da cerimónia  de apresentação do processo de desinvestimento parcial em oito blocos petrolíferos, disse ser um processo que  a única diferença  vai  incidir  na redução das receitas do seu interesse participativo.

Ainda no quadro deste processo, a Sonangol augura a entrada de novos “players”  no mercado angolano para actividade de exploração e produção de petróleo e gás.

“Estamos prontos a dar o suporte necessário para atrair o maior  número de investidores nacionais e estrangeiros”,  manifestou Gaspar Martins.

As participações  em alienação parcial estão detidas  em blocos em offshore e onshore, na sua maioria em produção, e outros em exploração e desenvolvimento.

Trata-se dos blocos 03/05 e 4/05, onde a Sonangol vai vender entre 15 a 20% cada,  o 5/06 com 30 a 65% ,  o 15/06 com uma alienação de até 10%.

A lista da Sonangol, apresentada neste dia, integra também os blocos 18, onde se prevê desinvestir até 8,28%, o 23, com uma venda exposta entre 30 a 70%,  igual número para o  27,  e o 31, até 10%.

Investidores nacionais e estrangeiros participaram de forma presencial e virtual na apresentação das potencialidades dos referidos blocos.