Dívida de clientes a ENDE atinge Akz 1.9 mil milhões

  • Transformadores de energia eléctrica
Uíge - A dívida acumulada pelos clientes da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), na província do Uíge, ronda, actualmente, aos Akz mil milhões, 969 milhões, 586 mil e 392 Kwanzas.

Segundo o  director provincial da ENDE, Adriano José Sebastião, que falava à  Angop,  os maiores devedores são instituições públicas e privadas, tendo registado um  considerável aumento devido ao Estado de Emergência, que obrigou a suspensão de  se efectuar cortes durante três meses.

Com um total de 44 mil clientes, sendo quatro mil no sistema pré-pago, acrescentou serem, igualmente, devedores os consumidores domésticos.

Para a redução do impacto negativo da dívida nesta empresa, informou que a ENDE tem realizado, periodicamente, campanhas de sensibilização para reduzir o impacto negativo à empresa.

Adriano Sebastião explicou que o incumprimento dos clientes no pagamento do consumo de energia tem causado dificuldade a ENDE para dar resposta a preocupação da empresa.

Em relação as instituições do Estado, Adriano José Sebastião explicou que têm sido realizados encontros e negociações, no sentido de as empresas liquidarem, aos poucos, as suas dívidas.

A província do Uíge tem uma potência disponível de 98 megawats, mas apenas se consome 38 por cento, devido a insuficiência de infra-estruturas e postos de transformação.

“Para concluir a electrificação os municípios do Uíge, Maquela do Zombo e Sanza Pombo seriam necessários 175 postos de transformação”,explicou.

Para a expansão do fornecimento de energia eléctrica, Adriano José Sebastião informou que estão em curso, desde o mês de Novembro, 475  ligações domiciliares  nos bairros de Ana Candande e Bem-Vindo.

Assegurou  a realização de 300  ligações  domiciliares até ao final do ano, no  bairro Tange,  no município do Uíge, com uma população estimada em mais de mil.

 

Segundo o  director provincial da ENDE, Adriano José Sebastião, que falava à  Angop,  os maiores devedores são instituições públicas e privadas, tendo registado um  considerável aumento devido ao Estado de Emergência, que obrigou a suspensão de  se efectuar cortes durante três meses.

Com um total de 44 mil clientes, sendo quatro mil no sistema pré-pago, acrescentou serem, igualmente, devedores os consumidores domésticos.

Para a redução do impacto negativo da dívida nesta empresa, informou que a ENDE tem realizado, periodicamente, campanhas de sensibilização para reduzir o impacto negativo à empresa.

Adriano Sebastião explicou que o incumprimento dos clientes no pagamento do consumo de energia tem causado dificuldade a ENDE para dar resposta a preocupação da empresa.

Em relação as instituições do Estado, Adriano José Sebastião explicou que têm sido realizados encontros e negociações, no sentido de as empresas liquidarem, aos poucos, as suas dívidas.

A província do Uíge tem uma potência disponível de 98 megawats, mas apenas se consome 38 por cento, devido a insuficiência de infra-estruturas e postos de transformação.

“Para concluir a electrificação os municípios do Uíge, Maquela do Zombo e Sanza Pombo seriam necessários 175 postos de transformação”,explicou.

Para a expansão do fornecimento de energia eléctrica, Adriano José Sebastião informou que estão em curso, desde o mês de Novembro, 475  ligações domiciliares  nos bairros de Ana Candande e Bem-Vindo.

Assegurou  a realização de 300  ligações  domiciliares até ao final do ano, no  bairro Tange,  no município do Uíge, com uma população estimada em mais de mil.