Empresários angolanos e turcos apostam no reforço da cooperação

  • Vista parcial do interior da fábrica de conserva no Namíbe.
Luanda – A cooperação entre Angola e a Turquia poderá contribuir para inverter o quadro das importações e impulsionar a produção nacional, afirmaram, nesta segunda-feira, em Luanda, os participantes no Fórum de Negócios entre os dois países.

O evento, promovido pelo Conselho de Relações Económicas Estrangeiras da Turquia (DEIK), teve como particular foco a indústria alimentar e têxtil.

A reunião permitiu a troca de experiências e informações, particularmente no domínio da produção de farinha de trigo e de milho, tendo-se alargado o leque da discussão para equipamentos e know-how da Turquia.

Apesar de se estar a registar um aumento das trocas comerciais bilaterais, os participantes reconheceram a necessidade de se explorar melhor o potencial dos dois países para benefício recíproco.

 Participaram no fórum diversas associações e empresários da Turquia e de Angola, com o alto patrocínio dos dois governos representados pelo secretário de Estado do Comércio de Angola, Amadeu Leitão,  do Embaixador de Angola na Turquia, José Patrício, da vice-ministra do Comércio da Turquia, Gonca Batur, e do embaixador daquele país em Angola, Alp Ay.

Os representantes das associações e confederações da indústria de farinha de trigo, pescas e produção animal, de calçados e couros, e de vestuário exprimiram o desejo de visitar Angola após o desanuviamento da pandemia do Covid-19, na busca de parcerias e um melhor estabelecimento da indústria Turca em Angola.

Angola fez-se representar pelos presidentes e directores da Associação Industrial de Angola (AIA), da Associação Têxtil e equipamentos industriais (AITECA),  da Associação da Indústria de Pastelaria, bem como das empresas Fonseca & Irmão, Moagem do Kikolo e Defendeideias.

O evento, promovido pelo Conselho de Relações Económicas Estrangeiras da Turquia (DEIK), teve como particular foco a indústria alimentar e têxtil.

A reunião permitiu a troca de experiências e informações, particularmente no domínio da produção de farinha de trigo e de milho, tendo-se alargado o leque da discussão para equipamentos e know-how da Turquia.

Apesar de se estar a registar um aumento das trocas comerciais bilaterais, os participantes reconheceram a necessidade de se explorar melhor o potencial dos dois países para benefício recíproco.

 Participaram no fórum diversas associações e empresários da Turquia e de Angola, com o alto patrocínio dos dois governos representados pelo secretário de Estado do Comércio de Angola, Amadeu Leitão,  do Embaixador de Angola na Turquia, José Patrício, da vice-ministra do Comércio da Turquia, Gonca Batur, e do embaixador daquele país em Angola, Alp Ay.

Os representantes das associações e confederações da indústria de farinha de trigo, pescas e produção animal, de calçados e couros, e de vestuário exprimiram o desejo de visitar Angola após o desanuviamento da pandemia do Covid-19, na busca de parcerias e um melhor estabelecimento da indústria Turca em Angola.

Angola fez-se representar pelos presidentes e directores da Associação Industrial de Angola (AIA), da Associação Têxtil e equipamentos industriais (AITECA),  da Associação da Indústria de Pastelaria, bem como das empresas Fonseca & Irmão, Moagem do Kikolo e Defendeideias.