ENDIAMA anuncia entrada em funcionamento de duas novas minas

  • Diamante lapidado, Angola no Top cinco dos maiores países produtores de diamantes
Cambulo – Duas novas minas de diamantes deverão entrar em funcionamento ainda este ano na província da Lunda Norte, visando aumentar os níveis de produção do mineral e as receitas fiscais.

O facto foi anunciado (quarta-feira), em Cambolo, pelo presidente do Conselho de Administração da ENDIAMA EP, Ganga Júnior, em declarações à imprensa, à margem da inauguração da mina do Furi, salientando tratar-se das minas do Luembe e Chiumbe, localizadas no município de Cambulo, província da Lunda Norte.

Sem dar pormenores técnicos, relativos às reservas e ao tempo de vida das minas, disse que a entrada em exploração  aumentará a quota de contribuição do sub-sector dos diamantes na economia nacional e no Orçamento Geral do Estado (OGE) e reduzir os níveis de pobreza na região.

Acrescentou que se pretende igualmente, com a entrada em funcionamento destas minas, num total de quatro no município de Cambulo, melhorar a prestação do subsector dos diamantes e aumentar a oferta de empregos.

Mina do Furi

Relactivamente à mina do Furi, o responsável sublinhou tratar-se de um projecto que vai aumentar os níveis de arrecadação de receitas fiscais no subsector dos diamantes e contribuir para a redução do desemprego na região.

Disse que a mina deverá produzir, em média, 15 a 20 mil quilates/mês, podendo cada quilate ser comercializado a cerca de 300 dólares norte-americanos, representando uma facturação na ordem dos cinco a seis milhões dólares/mês.

Fundo de apoio social

Sobre o fundo de apoio ao desenvolvimento sustentável às zonas mineiras, anunciado em 2020, Ganga Júnior, disse que actualmente estão a ser criadas as estruturas para se ter fontes de financiamentos regulares para o programa de responsabilidade social da ENDIAMA EP, a ser implementado pela Fundação Brilhante, na região.

Disse que o projecto, com programas específicos, vai envolver todas as empresas diamantíferas e parceiros, nomeadamente prestadores de serviços, que deverão contribuir para a arrecadação de um valor de 30 milhões de dólares norte-americanos/ano.

Os valores poderão ser aplicados em projectos agrícolas, culturais, construção de escolas, unidades sanitárias, habitação, saúde, energia, entre outros.

O facto foi anunciado (quarta-feira), em Cambolo, pelo presidente do Conselho de Administração da ENDIAMA EP, Ganga Júnior, em declarações à imprensa, à margem da inauguração da mina do Furi, salientando tratar-se das minas do Luembe e Chiumbe, localizadas no município de Cambulo, província da Lunda Norte.

Sem dar pormenores técnicos, relativos às reservas e ao tempo de vida das minas, disse que a entrada em exploração  aumentará a quota de contribuição do sub-sector dos diamantes na economia nacional e no Orçamento Geral do Estado (OGE) e reduzir os níveis de pobreza na região.

Acrescentou que se pretende igualmente, com a entrada em funcionamento destas minas, num total de quatro no município de Cambulo, melhorar a prestação do subsector dos diamantes e aumentar a oferta de empregos.

Mina do Furi

Relactivamente à mina do Furi, o responsável sublinhou tratar-se de um projecto que vai aumentar os níveis de arrecadação de receitas fiscais no subsector dos diamantes e contribuir para a redução do desemprego na região.

Disse que a mina deverá produzir, em média, 15 a 20 mil quilates/mês, podendo cada quilate ser comercializado a cerca de 300 dólares norte-americanos, representando uma facturação na ordem dos cinco a seis milhões dólares/mês.

Fundo de apoio social

Sobre o fundo de apoio ao desenvolvimento sustentável às zonas mineiras, anunciado em 2020, Ganga Júnior, disse que actualmente estão a ser criadas as estruturas para se ter fontes de financiamentos regulares para o programa de responsabilidade social da ENDIAMA EP, a ser implementado pela Fundação Brilhante, na região.

Disse que o projecto, com programas específicos, vai envolver todas as empresas diamantíferas e parceiros, nomeadamente prestadores de serviços, que deverão contribuir para a arrecadação de um valor de 30 milhões de dólares norte-americanos/ano.

Os valores poderão ser aplicados em projectos agrícolas, culturais, construção de escolas, unidades sanitárias, habitação, saúde, energia, entre outros.