Especialistas da OPEP analisam comportamento da indústria petrolífera

  • Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Pedro de Azevedo
Luanda - A 26ª sessão do Comité Ministerial Conjunto de Monitoramento do Grupo OPEP e parceiros reúne-se esta quarta-feira, em Viena (Áustria), para analisar o comportamento da indústria petrolífera em Janeiro último, sob a presidência rotativa de Angola.

A reunião analisa a evolução do mercado global de petróleo, seus níveis de conformidade e perspectivas para os meses seguintes, com intervenções do príncipe saudita Addul Aziz Bin Al Salman, do vice-primeiro Ministro russo, Alexandre Novak, e do ministro angolano dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo.

“O Grupo OPEP+ (OPEP e parceiros Não-OPEP signatários da Declaração de 2016 – DOC) decidiu, no seu encontro de 30 de Novembro de 2020, reunir mensalmente o comité de especialistas que acompanha a evolução do mercado petrolífero nas suas vertentes oferta e preço, que satisfaz o produtor e consumidores”, indica uma nota da organização.

Nesta 26ª sessão do Comité Ministerial Conjunto de Monitoramento (JMMC, sigla em inglês), o príncipe saudita e o vice-primeiro Ministro russo vão intervir como co-líderes da OPEP+, enquanto o ministro angolano discursa na qualidade de presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleos (OPEP).

Angola assumiu, em Novembro deste 2020, a presidência da Conferência de Ministros da OPEP, órgão fundado a 17 de Setembro de 1970, em Bagdad (Iraque), e foi admitida como membro de pleno direito, em 2006.

O país africano prevê passar a sua produção diária actual de mil 249 milhões de barris de petróleo, para mil 267 milhões, no próximo mês, perspectivando atingir mil 319 milhões de barris/dia no final de 2021.

A reunião analisa a evolução do mercado global de petróleo, seus níveis de conformidade e perspectivas para os meses seguintes, com intervenções do príncipe saudita Addul Aziz Bin Al Salman, do vice-primeiro Ministro russo, Alexandre Novak, e do ministro angolano dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo.

“O Grupo OPEP+ (OPEP e parceiros Não-OPEP signatários da Declaração de 2016 – DOC) decidiu, no seu encontro de 30 de Novembro de 2020, reunir mensalmente o comité de especialistas que acompanha a evolução do mercado petrolífero nas suas vertentes oferta e preço, que satisfaz o produtor e consumidores”, indica uma nota da organização.

Nesta 26ª sessão do Comité Ministerial Conjunto de Monitoramento (JMMC, sigla em inglês), o príncipe saudita e o vice-primeiro Ministro russo vão intervir como co-líderes da OPEP+, enquanto o ministro angolano discursa na qualidade de presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleos (OPEP).

Angola assumiu, em Novembro deste 2020, a presidência da Conferência de Ministros da OPEP, órgão fundado a 17 de Setembro de 1970, em Bagdad (Iraque), e foi admitida como membro de pleno direito, em 2006.

O país africano prevê passar a sua produção diária actual de mil 249 milhões de barris de petróleo, para mil 267 milhões, no próximo mês, perspectivando atingir mil 319 milhões de barris/dia no final de 2021.