Executivo recapitaliza TAAG com USD 700 milhões 

  • Nova Aeronave da TAAG - Dash8-Q400
Luanda - O Executivo aprovou a reestruturação e recapitalização das Linhas Aéreas de Angola (TAAG) com um financiamento de 700 milhões de dólares, informou, esta segunda-feira, o ministro dos Transportes, Ricardo D'Abreu.

Ao discursar na abertura do “Angola Aeronautic Summit” (vídeo-conferência sobre o sector aeronáutico, que reúne vários especialistas), o governante afirmou que o apoio à companhia continuará, prevalecendo os princípios e compromissos do Executivo, relativamente à sua visão sobre esse segmento.

Essa especial atenção à operadora nacional e ao sector, explicou o ministro, resulta também da recomendação da Associação Internacional dos Transportes Aéreos (IATA) e da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), decorrente do impacto da Covid-19 sobre as companhias aéreas.

“Tal apoio será contínuo, principalmente quando, no contexto regional, notar-se outros países irmãos, desistindo ou mesmo abdicando dessa visão ou possibilidade, permitindo o dever internacionalista e a oportunidade material, de perspectivar outras dimensões para a TAAG - Angola Airlines”, destacou. 

Referiu que o Executivo deve assegurar desde já e inequivocamente, que a transportadora venha a ser o orgulho, de facto, de todos os angolanos e todos os seus passageiros de opção, tendo em conta também que se trata das principais multinacionais do país. 

"O mais importante é procurarmos dar resposta a esta visão, assegurando que tenhamos uma companhia que sirva a economia nacional, quer por razões de prestação de um serviço público, aos nossos cidadãos, quer por motivos de natureza económica, promovendo a diversificação da economia nacional", enfatizou.

Ricardo D`Abreu considerou o sector muito exigente, pelo que “não há espaço para a má gestão dos recursos, para quem não acredita na razão de existir um serviço de qualidade às pessoas, às empresas e ao país, o que faz uma companhia de Bandeira". 

Neste esforço, o ministro dos Transportes lembra que a TAAG mereceu, mesmo em tempo adverso de pandemia, o apoio do Executivo, na aquisição de seis aeronaves do tipo Dash-8 Q400, das quais três já chegaram ao país.

A Cimeira virtual “Angola Aeronáutic e-Summit” é uma iniciativa do Ministério dos Transportes, em parceria com a Angola iTech, e estão em discussão os desafios e oportunidades para o futuro aeronáutico do país, com participação de representantes de vários países. 

 

Ao discursar na abertura do “Angola Aeronautic Summit” (vídeo-conferência sobre o sector aeronáutico, que reúne vários especialistas), o governante afirmou que o apoio à companhia continuará, prevalecendo os princípios e compromissos do Executivo, relativamente à sua visão sobre esse segmento.

Essa especial atenção à operadora nacional e ao sector, explicou o ministro, resulta também da recomendação da Associação Internacional dos Transportes Aéreos (IATA) e da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), decorrente do impacto da Covid-19 sobre as companhias aéreas.

“Tal apoio será contínuo, principalmente quando, no contexto regional, notar-se outros países irmãos, desistindo ou mesmo abdicando dessa visão ou possibilidade, permitindo o dever internacionalista e a oportunidade material, de perspectivar outras dimensões para a TAAG - Angola Airlines”, destacou. 

Referiu que o Executivo deve assegurar desde já e inequivocamente, que a transportadora venha a ser o orgulho, de facto, de todos os angolanos e todos os seus passageiros de opção, tendo em conta também que se trata das principais multinacionais do país. 

"O mais importante é procurarmos dar resposta a esta visão, assegurando que tenhamos uma companhia que sirva a economia nacional, quer por razões de prestação de um serviço público, aos nossos cidadãos, quer por motivos de natureza económica, promovendo a diversificação da economia nacional", enfatizou.

Ricardo D`Abreu considerou o sector muito exigente, pelo que “não há espaço para a má gestão dos recursos, para quem não acredita na razão de existir um serviço de qualidade às pessoas, às empresas e ao país, o que faz uma companhia de Bandeira". 

Neste esforço, o ministro dos Transportes lembra que a TAAG mereceu, mesmo em tempo adverso de pandemia, o apoio do Executivo, na aquisição de seis aeronaves do tipo Dash-8 Q400, das quais três já chegaram ao país.

A Cimeira virtual “Angola Aeronáutic e-Summit” é uma iniciativa do Ministério dos Transportes, em parceria com a Angola iTech, e estão em discussão os desafios e oportunidades para o futuro aeronáutico do país, com participação de representantes de vários países.