Expo/Cuanza Norte regista grande procura de produtos agrícolas

  • Exposição de frutas na Expo/Cuanza Norte
Ndalatando – Mais de dez toneladas de produtos agrícolas foram comercializados na 4ª edição da Expo/Cuanza Norte, nos dois primeiros dias do evento.

A grande procura por produtos agrícolas, como banana, ananás, feijão, mandioca, hortícolas e legumes, animou os produtores do ramo, que perspectivam aumentar a produção, para responder a demanda, na próxima edição.

O representante do município do Bolongongo, Faustino Fernandes, contou que ficou muito surpreendido pela solicitação que os produtos do campo tiveram.

Disse que o stand do Bolongongo tinha disponível cerca de quatro toneladas de banana e abacaxi, que esgotaram em menos de 48 horas.

O preço do cacho de banana variava entre 500 a dois mil kwanzas e o abacaxi custava de 200 a 400, por unidade.

A mesma situação aconteceu nos stands do Samba Cajú, Lucala, Golungo Alto, Quiculungo e Ambaca, que também levaram para o certame produtos agrícolas .

Mário Rocha, que representa três empresas ligadas ao sector agro-pecuário, disse que a participação na Expo/Cuanza Norte é uma oportunidade para contactos.

As empresas, que representa, levaram ao evento pintos, ração animal, frutas, hortícolas, legumes e frutas.

A  Cooperagro, levou à exposição vários imputs e equipamentos para a produção agrícola, sobretudo, sementes, adubos, material de irrigação, alfaias e produtos químicos, para tratamento de plantas, de acordo com o seu representante, Valdemiro Brandão.

Nelson João Francisco da Tecnagri informou que a empresa tem em amostra tractores, pivôs de irrigação, geradores e bombas para rega.

Nelson Francisco considerou satisfatório o número de visitas ao stand da empresa, que já resultou em contactos para novos negócios.

A 4ª edição da Expo/Cuanza Norte está a ser dominada pelo sector agro-pecuária e conta também com a participação de expositores das áreas de exploração mineira, seguro, bancária, assim como máquinas e equipamentos.

Josemar Direito, da empresa Hipermáquinas, com representação nas províncias da Huíla e Namibe,  tem em amostra  rochas ornamentais, com destaque para o mármore, granito e calcário para pavimentos e outros seguimentos de construção civil.

O expositor, que participa pela primeira vez na Expo/Cuanza Norte, está satisfeito com a iniciativa, pelo número de contactos para novos negócios que já fez.

 O responsável da empresa de tecnologias AG-Comercial, António Gabriel, também disse estar animado com o evento, pois o volume de negócios está a ser satisfatório.

A empresa está a vender cartões Sim, recargas, descodificadores das operadoras ZAP e DST, assim como telemóveis de várias marcas, a  partir de cinco mil kwanzas.

No sector bancário, o representante do banco Sol, Aníbal Domingos, disse que a instituição está a publicitar um novo serviço digital, denominado “E-Cumbú”, que permite a transferência de dinheiro a partir do telefone.

Esclareceu que o novo serviço visa evitar enchentes nos balcões.

Cento e cinquenta expositores das províncias do Cuanza Norte, Luanda, Cabinda, Uíge, Malanje, Huambo e Benguela participam da Expo/Cuanza Norte, que visa estimular a produção local e atrair investimentos para a província, sobretudo, no domínio da agro-pecuária.

O evento vai decorrer até ao dia 18 deste mês,  com o lema “Cuanza Norte na rota do desenvolvimento”.

A grande procura por produtos agrícolas, como banana, ananás, feijão, mandioca, hortícolas e legumes, animou os produtores do ramo, que perspectivam aumentar a produção, para responder a demanda, na próxima edição.

O representante do município do Bolongongo, Faustino Fernandes, contou que ficou muito surpreendido pela solicitação que os produtos do campo tiveram.

Disse que o stand do Bolongongo tinha disponível cerca de quatro toneladas de banana e abacaxi, que esgotaram em menos de 48 horas.

O preço do cacho de banana variava entre 500 a dois mil kwanzas e o abacaxi custava de 200 a 400, por unidade.

A mesma situação aconteceu nos stands do Samba Cajú, Lucala, Golungo Alto, Quiculungo e Ambaca, que também levaram para o certame produtos agrícolas .

Mário Rocha, que representa três empresas ligadas ao sector agro-pecuário, disse que a participação na Expo/Cuanza Norte é uma oportunidade para contactos.

As empresas, que representa, levaram ao evento pintos, ração animal, frutas, hortícolas, legumes e frutas.

A  Cooperagro, levou à exposição vários imputs e equipamentos para a produção agrícola, sobretudo, sementes, adubos, material de irrigação, alfaias e produtos químicos, para tratamento de plantas, de acordo com o seu representante, Valdemiro Brandão.

Nelson João Francisco da Tecnagri informou que a empresa tem em amostra tractores, pivôs de irrigação, geradores e bombas para rega.

Nelson Francisco considerou satisfatório o número de visitas ao stand da empresa, que já resultou em contactos para novos negócios.

A 4ª edição da Expo/Cuanza Norte está a ser dominada pelo sector agro-pecuária e conta também com a participação de expositores das áreas de exploração mineira, seguro, bancária, assim como máquinas e equipamentos.

Josemar Direito, da empresa Hipermáquinas, com representação nas províncias da Huíla e Namibe,  tem em amostra  rochas ornamentais, com destaque para o mármore, granito e calcário para pavimentos e outros seguimentos de construção civil.

O expositor, que participa pela primeira vez na Expo/Cuanza Norte, está satisfeito com a iniciativa, pelo número de contactos para novos negócios que já fez.

 O responsável da empresa de tecnologias AG-Comercial, António Gabriel, também disse estar animado com o evento, pois o volume de negócios está a ser satisfatório.

A empresa está a vender cartões Sim, recargas, descodificadores das operadoras ZAP e DST, assim como telemóveis de várias marcas, a  partir de cinco mil kwanzas.

No sector bancário, o representante do banco Sol, Aníbal Domingos, disse que a instituição está a publicitar um novo serviço digital, denominado “E-Cumbú”, que permite a transferência de dinheiro a partir do telefone.

Esclareceu que o novo serviço visa evitar enchentes nos balcões.

Cento e cinquenta expositores das províncias do Cuanza Norte, Luanda, Cabinda, Uíge, Malanje, Huambo e Benguela participam da Expo/Cuanza Norte, que visa estimular a produção local e atrair investimentos para a província, sobretudo, no domínio da agro-pecuária.

O evento vai decorrer até ao dia 18 deste mês,  com o lema “Cuanza Norte na rota do desenvolvimento”.