FAJE disponibiliza Akz 400 milhões para 200 projectos  

  • Huila Milho Comprado Aos Agricultores
Lubango - A cooperativa de créditos do Fórum Angolano de Jovens Empreendedores (FAJE) tem disponíveis 400 milhões de Kwanzas para financiar mais de 200 projectos diversos, na província da Huíla, informou nesta quarta-feira, no Lubango, o presidente regional do grémio, Piedade Pena.

O montante tem origem na linha de financiamento do Fundo  Activo de Capital Angolano "FACRA", direccionado para o alívio económico a pequenas e médias empresas que já funcionam, com o fito de reforçar a sua capacidade financeira, em montantes que variam dos 50 mil a sete milhões de Kwanzas a serem reembolsados  num período máximo de dois anos.

Em declarações à Angop, o presidente do FAJE  frisou que a prioridade vai para pequenos e médios empresários  virados a área da logística, saneamento, pequenas indústrias transformadoras  de tomate e outras da cadeia de transformação e também no sector da cultura, mais precisamente na  produção da música.

Detalhou que para se ter acesso ao crédito deve o candidato estar ligado a área do comércio, num período de três a seis meses da actividade, a documentação da empresa. Até ao momento 10  projectos deram entrada e estão na fase de avaliação para posterior financiamento.

Destacou  ser  uma oportunidade que está a ser oferecida para as micro empresas  e  jovens que devem aproveitar para a execução dos seus projectos.

O FAJE na Huíla  controla  420 associados, mas apenas  120 estão activos.

O montante tem origem na linha de financiamento do Fundo  Activo de Capital Angolano "FACRA", direccionado para o alívio económico a pequenas e médias empresas que já funcionam, com o fito de reforçar a sua capacidade financeira, em montantes que variam dos 50 mil a sete milhões de Kwanzas a serem reembolsados  num período máximo de dois anos.

Em declarações à Angop, o presidente do FAJE  frisou que a prioridade vai para pequenos e médios empresários  virados a área da logística, saneamento, pequenas indústrias transformadoras  de tomate e outras da cadeia de transformação e também no sector da cultura, mais precisamente na  produção da música.

Detalhou que para se ter acesso ao crédito deve o candidato estar ligado a área do comércio, num período de três a seis meses da actividade, a documentação da empresa. Até ao momento 10  projectos deram entrada e estão na fase de avaliação para posterior financiamento.

Destacou  ser  uma oportunidade que está a ser oferecida para as micro empresas  e  jovens que devem aproveitar para a execução dos seus projectos.

O FAJE na Huíla  controla  420 associados, mas apenas  120 estão activos.