FAO identifica três cadeias de valor no Bengo

  • Banana, uma das frutas mais cultivadas em Angola
Caxito - A banana, a mandioca e o milho são as principais cadeias de valor identificadas na província do Bengo, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), no âmbito do fortalecimento de capacidade do agronegócio.

 

Essas cadeias foram identificadas há dois meses por serem as que mais se produzem e geram renda na região, sublinhou o consultor da FAO, Flaviano Capita, no workshop sobre parcerias público privadas para o desenvolvimento do agronegócio e cadeias de valor,  aberto esta segunda-feira na cidade de Caxito, Bengo.

Com estes modelos de agronegócios inclusivos, disse, pretende-se ajudar os pequenos produtores a saírem da agricultura de subsistência para uma agricultura de mercado.

Com a duração de cinco dias, o workshop visa encontrar os mecanismos que permitam fazer com que as três cadeias identificadas se afirmem e dêem respostas aos problemas de produtividade, escoamento e outras situações enfrentadas pelos pequenos produtores.

O vice-governador provincial do Bengo para o sector Técnico e Infra-estruturas, Agostinho da Silva, destacou a importância da acção formativa na diversificação da economia e crescimento sustentável, onde o agronegócio constitui o sector com maior oportunidade e  potencial de crescimento. 

O encontro é dirigido aos produtores, cooperativas, associações e sociedade civil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essas cadeias foram identificadas há dois meses por serem as que mais se produzem e geram renda na região, sublinhou o consultor da FAO, Flaviano Capita, no workshop sobre parcerias público privadas para o desenvolvimento do agronegócio e cadeias de valor,  aberto esta segunda-feira na cidade de Caxito, Bengo.

Com estes modelos de agronegócios inclusivos, disse, pretende-se ajudar os pequenos produtores a saírem da agricultura de subsistência para uma agricultura de mercado.

Com a duração de cinco dias, o workshop visa encontrar os mecanismos que permitam fazer com que as três cadeias identificadas se afirmem e dêem respostas aos problemas de produtividade, escoamento e outras situações enfrentadas pelos pequenos produtores.

O vice-governador provincial do Bengo para o sector Técnico e Infra-estruturas, Agostinho da Silva, destacou a importância da acção formativa na diversificação da economia e crescimento sustentável, onde o agronegócio constitui o sector com maior oportunidade e  potencial de crescimento. 

O encontro é dirigido aos produtores, cooperativas, associações e sociedade civil.