Feira agropecuária marca 65º aniversário de Saurimo

  • Ladeado da governadora do Bengo, Mara Quiosa, e do ministro das Obras Públicas e Ordenamento do Território, Manuel Tavares, Presidente João Lourenço saúda os cidadãos
  • Lunda Sul: Administrador Municipal de Saurimo, Neves Romão
Saurimo - Uma feira agropecuária e comercial, visando incentivar e dinamizar a produção agrícola no município de Saurimo, província da Lunda Sul, marcou hoje, terça-feira, a abertura das festividades dos 65 anos de elevação da circunscrição de vila ao município.

A feira aberta pelo administrador municipal de Saurimo, Neves Romão, em alusão ao 28 de Maio, terá a duração de cinco dias e conta com a participação 52 expositores, entre empresários, comerciantes, agricultores, camponeses, fazedores de arte, provenientes das comunas de Sombo, Mona-Quimbundo e algumas regedorias da urbe.

Na feira que decorre no largo 1º de Maio, sob fortes medidas de biossegurança contra à covid-19, estão expostos as principais potencialidades agrícolas, culturais e industriais, bem como a comercialização de obras de artes plásticas, roupas, alimentação entre outros.

Entre os produtos agrícolas expostos destaca-se a mandioca, ananás, cenoura, abacate, repolho, couve, feijão verde, abóbora, batata-doce, inhame, cebola, tomate, bombó, jinguba, tomate, entre outros.

Estão igualmente à venda alguns animais e aves, carne seca e peixe fresco, bem como algumas obras literárias, discográficas e artesanais.

Na ocasião, Neves Romão, considerou o evento uma oportunidade para os produtores mostrarem e comercializarem os seus produtos escoados do campo para as cidades.

Incentivou os agricultores no sentido de continuarem a trabalhar, diversificando as suas culturas, assegurando que a administração vai envidar esforços no sentido de garantir apoio material e semente para dinamizar a actividade na região.

Por outro lado, João Makenene, munícipe, lamentou o facto de os feirantes comercializarem produtos a preços avultados, uma vez que a iniciativa é de permitir que a compra vá de encontro ao bolso do cidadão.

Solicitou a intervenção da administração municipal, no sentido de dialogar com os feirantes para a redução dos preços e ou antes explicar o funcionamento de uma feira agropecuária, para evitar especulação de preçários, o que pode afugentar visitantes.

O programa de actividades do 65º aniversário da cidade de Saurimo reserva ainda o lançamento do código de postura do município, mesa redonda sobre a história da urbe, inauguração de uma escola primária de sete salas de aulas, entrega de moagens aos ex-militares, distribuição de kits de trabalho aos ex-militares, jovens empreendedores e famílias carenciadas, entre outras actividades.

Consta igualmente o lançamento oficial do segundo livro do escritor Bula Mbungue, intitulado “O Grito do Poeta”.

Saurimo, com mais de 530 mil habitantes, foi a capital da província da Lunda, dividida em duas (Lunda Norte e Lunda Sul), em 1978. É limitado a Norte pelos municípios de Lucapa e Cambulo, a Este pela República Democrática do Congo, a Sul pelo município de Dala e a Oeste pelos municípios de Cacolo e Lubalo.

É constituído pelas comunas de Saurimo, Mona-Quimbundo e Sombo, por 140 aldeias, das quais 61 já unificadas, e 16 povoações.

A feira aberta pelo administrador municipal de Saurimo, Neves Romão, em alusão ao 28 de Maio, terá a duração de cinco dias e conta com a participação 52 expositores, entre empresários, comerciantes, agricultores, camponeses, fazedores de arte, provenientes das comunas de Sombo, Mona-Quimbundo e algumas regedorias da urbe.

Na feira que decorre no largo 1º de Maio, sob fortes medidas de biossegurança contra à covid-19, estão expostos as principais potencialidades agrícolas, culturais e industriais, bem como a comercialização de obras de artes plásticas, roupas, alimentação entre outros.

Entre os produtos agrícolas expostos destaca-se a mandioca, ananás, cenoura, abacate, repolho, couve, feijão verde, abóbora, batata-doce, inhame, cebola, tomate, bombó, jinguba, tomate, entre outros.

Estão igualmente à venda alguns animais e aves, carne seca e peixe fresco, bem como algumas obras literárias, discográficas e artesanais.

Na ocasião, Neves Romão, considerou o evento uma oportunidade para os produtores mostrarem e comercializarem os seus produtos escoados do campo para as cidades.

Incentivou os agricultores no sentido de continuarem a trabalhar, diversificando as suas culturas, assegurando que a administração vai envidar esforços no sentido de garantir apoio material e semente para dinamizar a actividade na região.

Por outro lado, João Makenene, munícipe, lamentou o facto de os feirantes comercializarem produtos a preços avultados, uma vez que a iniciativa é de permitir que a compra vá de encontro ao bolso do cidadão.

Solicitou a intervenção da administração municipal, no sentido de dialogar com os feirantes para a redução dos preços e ou antes explicar o funcionamento de uma feira agropecuária, para evitar especulação de preçários, o que pode afugentar visitantes.

O programa de actividades do 65º aniversário da cidade de Saurimo reserva ainda o lançamento do código de postura do município, mesa redonda sobre a história da urbe, inauguração de uma escola primária de sete salas de aulas, entrega de moagens aos ex-militares, distribuição de kits de trabalho aos ex-militares, jovens empreendedores e famílias carenciadas, entre outras actividades.

Consta igualmente o lançamento oficial do segundo livro do escritor Bula Mbungue, intitulado “O Grito do Poeta”.

Saurimo, com mais de 530 mil habitantes, foi a capital da província da Lunda, dividida em duas (Lunda Norte e Lunda Sul), em 1978. É limitado a Norte pelos municípios de Lucapa e Cambulo, a Este pela República Democrática do Congo, a Sul pelo município de Dala e a Oeste pelos municípios de Cacolo e Lubalo.

É constituído pelas comunas de Saurimo, Mona-Quimbundo e Sombo, por 140 aldeias, das quais 61 já unificadas, e 16 povoações.