Fortalecimento de parcerias dinamiza desenvolvimento agro-industrial

Menongue – A vice-governadora do Cuando Cubango para os sectores político, social e económico, Adélia Muambeno Samuel, afirmou nesta segunda-feira que as parcerias púbicas/privadas podem dinamizar de forma significativa o desenvolvimento agro-industrial e contribuir para a melhoria das condições de vida das populações.

Adélia Muambeno Samuel pronunciou-se nestes termos quando discursava na abertura do Programa de Capacitação Territorial para o Fortalecimento dos Sistemas Agro-alimentares e Cadeias de Valor, no quadro do II módulo de parcerias público-privadas na agricultura e modelos de negócio inclusivos.

Disse que o workshop objectiva fortalecer e melhorar o nível de competências dos agentes económicos nos mais variados aspectos e aperfeiçoar as cadeias de valores nos ramos agro-alimentares e agronegócio, no âmbito do Programa de Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

A acção formativa prevê, igualmente, fortalecer as ligações inclusivas entre os pequenos produtores, provedores de serviços e compradores e encorajar os profissionais do sector público e privado a implementarem os projectos direccionados para o tecido agro-alimentar.

Augurou que a acção formativa seja suficiente para a exposição temática dos conteúdos com a profundidade exigida, para que os participantes tirem o maior proveito e possam aplicá-lo na prática para o desenvolvimento do país em geral e da província em particular, contribuindo de forma significativa no combate à fome e à pobreza.

Por seu turno, o director do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado, Roberto Biwango, lembrou que desde Maio do corrente ano o Ministério da Economia e Planeamento e o Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) tem vindo a promover ciclos formativos e diálogos estratégicos em temas sobre agronegócio, numa parceria com os governos provinciais.

Neste quadro, a província do Cuando Cubango identificou como cadeia de valor no primeiro módulo produtos como o milho, massango, massambala, mandioca e o feijão.

O ciclo formativo é destinado aos empresários, cooperativas, sociedade civil e Organizações Não Governamentais, numa promoção do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado, patrocinado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Adélia Muambeno Samuel pronunciou-se nestes termos quando discursava na abertura do Programa de Capacitação Territorial para o Fortalecimento dos Sistemas Agro-alimentares e Cadeias de Valor, no quadro do II módulo de parcerias público-privadas na agricultura e modelos de negócio inclusivos.

Disse que o workshop objectiva fortalecer e melhorar o nível de competências dos agentes económicos nos mais variados aspectos e aperfeiçoar as cadeias de valores nos ramos agro-alimentares e agronegócio, no âmbito do Programa de Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

A acção formativa prevê, igualmente, fortalecer as ligações inclusivas entre os pequenos produtores, provedores de serviços e compradores e encorajar os profissionais do sector público e privado a implementarem os projectos direccionados para o tecido agro-alimentar.

Augurou que a acção formativa seja suficiente para a exposição temática dos conteúdos com a profundidade exigida, para que os participantes tirem o maior proveito e possam aplicá-lo na prática para o desenvolvimento do país em geral e da província em particular, contribuindo de forma significativa no combate à fome e à pobreza.

Por seu turno, o director do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado, Roberto Biwango, lembrou que desde Maio do corrente ano o Ministério da Economia e Planeamento e o Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) tem vindo a promover ciclos formativos e diálogos estratégicos em temas sobre agronegócio, numa parceria com os governos provinciais.

Neste quadro, a província do Cuando Cubango identificou como cadeia de valor no primeiro módulo produtos como o milho, massango, massambala, mandioca e o feijão.

O ciclo formativo é destinado aos empresários, cooperativas, sociedade civil e Organizações Não Governamentais, numa promoção do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado, patrocinado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).