Fundo de Crédito lança novas garantias

  • Parque Industrial
Luanda - O Fundo de Garantia de Crédito (FGC) espera lançar, em breve, no mercado, quatro novas linhas (garantias), entre as quais para financiamentos pontuais de reforço operacional e assegurar o portfólio de micro-operações de promotores de projectos.

No quadro do alargamento das linhas, de acordo com o director  Comercial e Marketing do FGC, Lourenço Filipe, estão previstas a emissão garantias de organização empresarial (apoio, com organização contabilística), legalização patrimonial (apoio em legalização/registo de património como terrenos e bens mobiliários).

Da carteira das novas  linhas  de garantia constam o apoio a  micro-crédito (garantia de portfólio de micro-operações de financiamento) e tesouraria (garantias para financiamentos pontuais de reforço operacional).

“Temos nos deparado com boas iniciativas, mas  com organização empresarial precária, em que há falta de organização financeira ou contabilista por parte dos promotores de projectos, sobretudo, de algumas empresas que operam de forma informal”, justificou.

Lourenço Filipe, que falou, nesta terça-feira, por videoconferência sobre o Processo de Emissão de Garantia de Crédito, referiu que o FGC vai criar uma linha de apoios aos promotores de projectos nas referidas condições, para se organizarem.

No quadro do plano estratégico 2021/2025,  a entidade pública quer  contribuir  para a consolidação  do sistema  nacional de garantias,  melhorar  o ciclo de gestão, fortalecer a diferenciação da oferta e presença no mercado.

Fez saber ainda que a instituição tem em carteira a  implementação  de um  modelo de gestão de risco  e compliance, bem como a acelerar a transformação  digital, para a melhoria dos procedimentos.

Actualmente, o FGC  tem activo duas  garantias de apoio à produção, uma linha  que da suporte ao Prodesi, com operações ao abrigo  do Projecto de Apoio ao Credito (PAC) e o Aviso 10 do Banco Nacional de Angola (BNA),  com limite máximo de 75%.

Outra garantia parcial emitida activa  é o projecto de apoio a agricultura  comercial, uma iniciativa sob  implementação  do Ministério  da Agricultura e Pesca, com  financiamento externo do Banco Mundial e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), com limite máximo de 65%, abrangendo as províncias de Malanje, Cuanza Norte e Cuanza Sul, com perspectiva de alargar-se a nível nacional.

O Fundo de Garantia de Crédito (FGC) emitiu, de Janeiro a Dezembro de 2020, vinte garantias no valor de 21, 394 milhões de kwanzas para financiamentos junto da banca.

A garantia do FGC era para assegurar a disponibilidade de crédito da banca comercial, no valor de 29 213 milhões de kwanzas, a empresários.

Das 20 garantias emitidas, quatro processos fazem parte do Projecto de Apoio ao Crédito (PAC) e outros 16 ao abrigo do Aviso 10/20, de 3 de Abril do Banco Nacional de Angola (BNA).

Só para assegurar os quatro processos do PAC, o FGC teve de garantir mais de 4 323 milhões de kwanzas, para um financiamento de  Kz 6 113 milhões.

Para os projectos de financiamento à economia real, no âmbito do Aviso 10/20, a garantia foi de mais de 17 071  milhões de kwanzas, para um financiamento de 23 099 milhões de kwanzas, do conjunto de 16 processos aprovados.

Desde o início da sua actividade, em 2012, até 31 de Março de 2020, o FGC emitiu 476 garantias, num total de 110 935 milhões de kwanzas, para financiamentos na ordem de 167 212 milhões de kwanzas.

Destas, duas garantias pertencem ao Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), num total de 2 508 milhões de kwanzas, para financiamentos na ordem dos Kz 3 694 milhões.

As garantias de crédito facilitam o financiamento das micros, pequenas e médias empresas (MPME), para investimento em imobilizado corpóreo e para o reforço do fundo de maneio, bem como estimulam e fortalecem o espírito de empreendedorismo, fomento e formalização das actividades económicas.

No quadro do alargamento das linhas, de acordo com o director  Comercial e Marketing do FGC, Lourenço Filipe, estão previstas a emissão garantias de organização empresarial (apoio, com organização contabilística), legalização patrimonial (apoio em legalização/registo de património como terrenos e bens mobiliários).

Da carteira das novas  linhas  de garantia constam o apoio a  micro-crédito (garantia de portfólio de micro-operações de financiamento) e tesouraria (garantias para financiamentos pontuais de reforço operacional).

“Temos nos deparado com boas iniciativas, mas  com organização empresarial precária, em que há falta de organização financeira ou contabilista por parte dos promotores de projectos, sobretudo, de algumas empresas que operam de forma informal”, justificou.

Lourenço Filipe, que falou, nesta terça-feira, por videoconferência sobre o Processo de Emissão de Garantia de Crédito, referiu que o FGC vai criar uma linha de apoios aos promotores de projectos nas referidas condições, para se organizarem.

No quadro do plano estratégico 2021/2025,  a entidade pública quer  contribuir  para a consolidação  do sistema  nacional de garantias,  melhorar  o ciclo de gestão, fortalecer a diferenciação da oferta e presença no mercado.

Fez saber ainda que a instituição tem em carteira a  implementação  de um  modelo de gestão de risco  e compliance, bem como a acelerar a transformação  digital, para a melhoria dos procedimentos.

Actualmente, o FGC  tem activo duas  garantias de apoio à produção, uma linha  que da suporte ao Prodesi, com operações ao abrigo  do Projecto de Apoio ao Credito (PAC) e o Aviso 10 do Banco Nacional de Angola (BNA),  com limite máximo de 75%.

Outra garantia parcial emitida activa  é o projecto de apoio a agricultura  comercial, uma iniciativa sob  implementação  do Ministério  da Agricultura e Pesca, com  financiamento externo do Banco Mundial e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), com limite máximo de 65%, abrangendo as províncias de Malanje, Cuanza Norte e Cuanza Sul, com perspectiva de alargar-se a nível nacional.

O Fundo de Garantia de Crédito (FGC) emitiu, de Janeiro a Dezembro de 2020, vinte garantias no valor de 21, 394 milhões de kwanzas para financiamentos junto da banca.

A garantia do FGC era para assegurar a disponibilidade de crédito da banca comercial, no valor de 29 213 milhões de kwanzas, a empresários.

Das 20 garantias emitidas, quatro processos fazem parte do Projecto de Apoio ao Crédito (PAC) e outros 16 ao abrigo do Aviso 10/20, de 3 de Abril do Banco Nacional de Angola (BNA).

Só para assegurar os quatro processos do PAC, o FGC teve de garantir mais de 4 323 milhões de kwanzas, para um financiamento de  Kz 6 113 milhões.

Para os projectos de financiamento à economia real, no âmbito do Aviso 10/20, a garantia foi de mais de 17 071  milhões de kwanzas, para um financiamento de 23 099 milhões de kwanzas, do conjunto de 16 processos aprovados.

Desde o início da sua actividade, em 2012, até 31 de Março de 2020, o FGC emitiu 476 garantias, num total de 110 935 milhões de kwanzas, para financiamentos na ordem de 167 212 milhões de kwanzas.

Destas, duas garantias pertencem ao Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), num total de 2 508 milhões de kwanzas, para financiamentos na ordem dos Kz 3 694 milhões.

As garantias de crédito facilitam o financiamento das micros, pequenas e médias empresas (MPME), para investimento em imobilizado corpóreo e para o reforço do fundo de maneio, bem como estimulam e fortalecem o espírito de empreendedorismo, fomento e formalização das actividades económicas.