Lunda Sul convida empresários belgas a investir nos diamantes

  • Lunda Sul: Vista parcial da Cidade de Saurimo
Saurimo - O vice-governador para o sector Politico, Económico e Social da Lunda Sul, Mendes Gaspar, convidou hoje os empresários belgas a investir na circunscrição, sobretudo no sector diamantífero, visando proporcionar empregos aos jovens e contribuírem para o desenvolvimento da localidade.

Em declarações à imprensa, a propósito da visita de 10 empresários belgas ligados à “Antwerp World Diamond Center” (AWDC), que durante quatro horas visitaram o Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, o governante augurou o reforço dos investimentos no sector dos diamantes, tendo em conta a disponibilidade de muitas áreas de exploração da província.

Segundo o governante, a Lunda Sul é uma das províncias em franco desenvolvimento com necessidades de investimento económico em diversas áreas e a cooperação com os empresários da AWDC é muito importante em muitos domínios, como a mineração, energia e agricultura.

Sublinhou ainda que a província tem importantes recursos naturais, daí a necessidade de cooperar com os belgas nessas áreas para alcançar o desenvolvimento da localidade e o bem-estar das populações.

Pólo Diamantífero de Saurimo

Quanto ao pólo diamantífero de Saurimo, Mendes Gaspar disse que os empresários gostaram de visitar e comprometeram-se voltar em breve.

Explicou que em termos de energia, o pólo será garantido por uma central híbrida, com energia térmica e solar.

Avançou que para a unidade da Lunda Sul, numa primeira fase, terá cinco fábricas de lapidação de diamantes. Nela existem mais 24 lotes disponíveis para construir outras unidades fabris, que vão permitir alcançar os 20% da produção total que se almeja.

Quanto aos empregos, disse que serão garantidos cinco mil empregos directos e indirectos em todas as áreas que a unidade vai dispor, acrescentando que já começaram a dar oportunidade à formação dos jovens da província, alguns encontram-se no exterior do país.

A mina de Catoca influenciou a implementação da fábrica na Lunda Sul, uma vez que foi já aprovado uma política de comercialização dos diamantes. Entretanto, as empresas de lapidação têm uma cota definida, e a província em termos de produção representa 80 por cento de volume e 70 em valor.

Na ocasião, o primeiro secretário da embaixada do Reino da Bélgica em Angola, Gillis Ooghe, disse que a primeira visita de trabalho à Lunda Sul serviu para obter mais informações e domínio, sobre as reais potencialidades desta parcela do território nacional, em particular do sector diamantífero, para possíveis investimentos de empresários do seu país.

As obras do Pólo Diamantífero encontram-se já a 75 porcento de execução física.

Em declarações à imprensa, a propósito da visita de 10 empresários belgas ligados à “Antwerp World Diamond Center” (AWDC), que durante quatro horas visitaram o Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, o governante augurou o reforço dos investimentos no sector dos diamantes, tendo em conta a disponibilidade de muitas áreas de exploração da província.

Segundo o governante, a Lunda Sul é uma das províncias em franco desenvolvimento com necessidades de investimento económico em diversas áreas e a cooperação com os empresários da AWDC é muito importante em muitos domínios, como a mineração, energia e agricultura.

Sublinhou ainda que a província tem importantes recursos naturais, daí a necessidade de cooperar com os belgas nessas áreas para alcançar o desenvolvimento da localidade e o bem-estar das populações.

Pólo Diamantífero de Saurimo

Quanto ao pólo diamantífero de Saurimo, Mendes Gaspar disse que os empresários gostaram de visitar e comprometeram-se voltar em breve.

Explicou que em termos de energia, o pólo será garantido por uma central híbrida, com energia térmica e solar.

Avançou que para a unidade da Lunda Sul, numa primeira fase, terá cinco fábricas de lapidação de diamantes. Nela existem mais 24 lotes disponíveis para construir outras unidades fabris, que vão permitir alcançar os 20% da produção total que se almeja.

Quanto aos empregos, disse que serão garantidos cinco mil empregos directos e indirectos em todas as áreas que a unidade vai dispor, acrescentando que já começaram a dar oportunidade à formação dos jovens da província, alguns encontram-se no exterior do país.

A mina de Catoca influenciou a implementação da fábrica na Lunda Sul, uma vez que foi já aprovado uma política de comercialização dos diamantes. Entretanto, as empresas de lapidação têm uma cota definida, e a província em termos de produção representa 80 por cento de volume e 70 em valor.

Na ocasião, o primeiro secretário da embaixada do Reino da Bélgica em Angola, Gillis Ooghe, disse que a primeira visita de trabalho à Lunda Sul serviu para obter mais informações e domínio, sobre as reais potencialidades desta parcela do território nacional, em particular do sector diamantífero, para possíveis investimentos de empresários do seu país.

As obras do Pólo Diamantífero encontram-se já a 75 porcento de execução física.