Governo prepara avaliação do Programa de Financiamento Ampliado do FMI

  • Milton Reis, Secretário de Estado para o Planeamento
Luanda - O Governo prepara a sexta e última avaliação do Acordo Alargado ao Abrigo do Programa de Financiamento Ampliado do Fundo Monetário Internacional (FMI), informou, esta quinta-feira, em Luanda, o secretário de Estado do Planeamento, Milton Reis.

Falando no habitual briefing do Ministério da Economia e Planeamento (MEP), fez saber que a equipa do FMI está a realizar visitas, em formato on-line, de 06 a 13 do corrente mês, para, em conjunto com os ministérios das Finanças, da Economia e Planeamento e dos Recursos Minerais e Petróleo e o Banco Nacional de Angola prepararem a avaliação do acordo.

Adiantou que na visita on-line, o MEP está a apresentar o balanço do desempenho do sector real da economia angolana, até ao primeiro semestre do corrente ano, assim como as perspectivas para o ano de 2022, com destaque para os sectores petrolífero, de gás natural e o não petrolífero.

O Ministério da Economia e Planeamento está ainda a apresentar as acções desenvolvidas para dinamizar a implementação das parcerias público-privadas e o balanço da implementação do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI), no âmbito do processo de diversificação da economia.

O Acordo Alargado ao Abrigo do Programa de Financiamento Ampliado (EFF - sigla em inglês) tem como objectivo restaurar a sustentabilidade externa e orçamental e lançar as bases para a diversificação económica sustentável, estando na liderança do mercado o sector privado.

Entre os pilares básicos do programa destacam-se a consolidação orçamental, para conduzir a dívida a níveis mais seguros, maior flexibilidade cambial, para recuperar a competitividade, e uma política monetária de apoio- para reduzir a inflação.

Segundo Milton Reis, no que diz respeito a celebração dos 50 anos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), o MEP participou do workshop, que se debruçou sobre os objectivos da organização relacionados ao engajamento nacional sobre as alterações climáticas e o papel de Angola nos acordos internacionais sobre as alterações climáticas e na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26).

Por outro lado, relembrou que continua a decorrer a segunda fase do Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas (RAPP), direccionado a empresas que se dedicam à agricultura, pecuária e pescas.

Apelou os empresários dos sectores visados a prestarem informação aos recenseadores do Instituto Nacional de Estatística (INE), para que disponha de informação sobre os activos agro-pecuários e de pescas do país.

Falando no habitual briefing do Ministério da Economia e Planeamento (MEP), fez saber que a equipa do FMI está a realizar visitas, em formato on-line, de 06 a 13 do corrente mês, para, em conjunto com os ministérios das Finanças, da Economia e Planeamento e dos Recursos Minerais e Petróleo e o Banco Nacional de Angola prepararem a avaliação do acordo.

Adiantou que na visita on-line, o MEP está a apresentar o balanço do desempenho do sector real da economia angolana, até ao primeiro semestre do corrente ano, assim como as perspectivas para o ano de 2022, com destaque para os sectores petrolífero, de gás natural e o não petrolífero.

O Ministério da Economia e Planeamento está ainda a apresentar as acções desenvolvidas para dinamizar a implementação das parcerias público-privadas e o balanço da implementação do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI), no âmbito do processo de diversificação da economia.

O Acordo Alargado ao Abrigo do Programa de Financiamento Ampliado (EFF - sigla em inglês) tem como objectivo restaurar a sustentabilidade externa e orçamental e lançar as bases para a diversificação económica sustentável, estando na liderança do mercado o sector privado.

Entre os pilares básicos do programa destacam-se a consolidação orçamental, para conduzir a dívida a níveis mais seguros, maior flexibilidade cambial, para recuperar a competitividade, e uma política monetária de apoio- para reduzir a inflação.

Segundo Milton Reis, no que diz respeito a celebração dos 50 anos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), o MEP participou do workshop, que se debruçou sobre os objectivos da organização relacionados ao engajamento nacional sobre as alterações climáticas e o papel de Angola nos acordos internacionais sobre as alterações climáticas e na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26).

Por outro lado, relembrou que continua a decorrer a segunda fase do Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas (RAPP), direccionado a empresas que se dedicam à agricultura, pecuária e pescas.

Apelou os empresários dos sectores visados a prestarem informação aos recenseadores do Instituto Nacional de Estatística (INE), para que disponha de informação sobre os activos agro-pecuários e de pescas do país.