INAPEM capacita gestores de empresas privadas

Luanda - Quatrocentos e 75 gestores de micro, média e pequenas empresas, a nível nacional, vão beneficiar de um projecto de formação para capacitação e desenvolvimento do sector privado, cujo lançamento aconteceu esta quarta-feira, em Luanda.

A iniciativa do Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), em parceria com o Banco Angolano de Desenvolvimento (BAD) e a Academia BAI, visa o reforço das competências de gestão, através da formalização e melhoria dos processos e adopção de boas praticas de gestão.  

Segundo o presidente do conselho de administração do INAPEM, Arnito Agostinho, é importante que o gestor tenha capacidade para planificar, administrar e poder implementar de forma eficiente os seus projectos.

O INAPEM, prosseguiu, vai exercer um papel de apoio ao processo de desenvolvimento destas capacidades, por ser um dos objectivos de crescimento explícito, na estratégia de alavancar o país.

Para sua concretização efectiva, na sua óptica, é importante aqueles que desenvolvam ou têm iniciativa empresarial para o exercício de certa actividade económica no país, principalmente os gestores de empresas do sector privado, para apoiar o crescimento económico.

Apontou, entre outros, matérias sobre o processo de tomada de decisão, o sistema gestão empresarial e cultura organizacional como sendo instrumentos que constituem o essencial para desenvolvimento destas capacidades.

Por sua vez, o administrador do INAPEM, Osvaldo Rasgado, considerou ser este um projecto bastante ambicioso quanto ao que se quer alcançar para o desenvolvimento do sector privado.

Com isto, disse que se pretende criar maior dinamismo nas micros, pequenas e médias empresas, gerar maior competitividade, aumentar a produção e promover mais exportações dos seus produtos para o alcance do tão desejado desenvolvimento económico.

O programa ora lançado prevê capacitar 475 gestores do sector privado em todo território nacional, a ser implementado em três fases, sendo a primeira com seis províncias contempladas (Luanda, Cuando Cubango, Benguela, Moxico, Zaire e Cabinda).

Em cada uma das províncias foram seleccionados 25 gestores, excepto a capital do país, que tem 50.

Na segunda fase estarão as províncias do Cuanza Norte, Huambo, Malanje, Bié, Bengo e Huíla, enquanto a última abrange o Uíge, Cunene, Namibe, Cuanza Sul, Lunda Sul e Lunda Norte, devendo cada uma das fases ter a duração de dois meses.

O programa está constituído por três módulos que atendem as exigências do PRODESI a nível da produção nacional.       

 

A iniciativa do Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), em parceria com o Banco Angolano de Desenvolvimento (BAD) e a Academia BAI, visa o reforço das competências de gestão, através da formalização e melhoria dos processos e adopção de boas praticas de gestão.  

Segundo o presidente do conselho de administração do INAPEM, Arnito Agostinho, é importante que o gestor tenha capacidade para planificar, administrar e poder implementar de forma eficiente os seus projectos.

O INAPEM, prosseguiu, vai exercer um papel de apoio ao processo de desenvolvimento destas capacidades, por ser um dos objectivos de crescimento explícito, na estratégia de alavancar o país.

Para sua concretização efectiva, na sua óptica, é importante aqueles que desenvolvam ou têm iniciativa empresarial para o exercício de certa actividade económica no país, principalmente os gestores de empresas do sector privado, para apoiar o crescimento económico.

Apontou, entre outros, matérias sobre o processo de tomada de decisão, o sistema gestão empresarial e cultura organizacional como sendo instrumentos que constituem o essencial para desenvolvimento destas capacidades.

Por sua vez, o administrador do INAPEM, Osvaldo Rasgado, considerou ser este um projecto bastante ambicioso quanto ao que se quer alcançar para o desenvolvimento do sector privado.

Com isto, disse que se pretende criar maior dinamismo nas micros, pequenas e médias empresas, gerar maior competitividade, aumentar a produção e promover mais exportações dos seus produtos para o alcance do tão desejado desenvolvimento económico.

O programa ora lançado prevê capacitar 475 gestores do sector privado em todo território nacional, a ser implementado em três fases, sendo a primeira com seis províncias contempladas (Luanda, Cuando Cubango, Benguela, Moxico, Zaire e Cabinda).

Em cada uma das províncias foram seleccionados 25 gestores, excepto a capital do país, que tem 50.

Na segunda fase estarão as províncias do Cuanza Norte, Huambo, Malanje, Bié, Bengo e Huíla, enquanto a última abrange o Uíge, Cunene, Namibe, Cuanza Sul, Lunda Sul e Lunda Norte, devendo cada uma das fases ter a duração de dois meses.

O programa está constituído por três módulos que atendem as exigências do PRODESI a nível da produção nacional.