INAPEM certifica oitenta e sete empresas

  • Cunene: Vista parcial das Instalaçoes do INAPEM
Ondjiva – Oitenta e sete empresas de vários ramos de actividade foram certificadas no I semestre deste ano, na província do Cunene, pelo Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), mais 37 em relação ao período anterior.

O INAPEM é um instituto público, tutelado pelo Ministério da Economia, ao qual compete a implementação das políticas e estratégias no domínio da formação e capacitação empresarial.

Em declarações hoje à Angop, o chefe dos serviços do INAPEM no Cunene, José Valeriano de Carvalho, explicou que o processo de certificação das empresas cria facilidade para o crédito, benefícios fiscais e contratação privilegiada.

Fez saber que com certificação dos micros, pequenas e médias empresas, pelo menos os proprietários ficam a saber qual é a classificação e dimensão da empresa calculável na taxa fiscal a pagar na Administração Geral Tributária (AGT).

“No passado, os gestores das empresas não certificadas ao pagavam impostos acima do valor real,  por  não entenderem esses detalhes, mas agora já é diferente”, afirmou.

Disse que para usufruir dos benefícios, os empreendedores devem realizar a certificação das respectivas empresas, no sentido de terem condições e facilidade para aumentar o volume de negócio.

José Valeriano de Carvalho reiterou que a instituição está aberta para maior colaboração com os empresários locais, na criação de facilidades para aquisição da certificação e outros procedimentos legais realizados pelo órgão, para um empresariado cada vez mais forte e organizado.

O INAPEM é um instituto público, tutelado pelo Ministério da Economia, ao qual compete a implementação das políticas e estratégias no domínio da formação e capacitação empresarial.

Em declarações hoje à Angop, o chefe dos serviços do INAPEM no Cunene, José Valeriano de Carvalho, explicou que o processo de certificação das empresas cria facilidade para o crédito, benefícios fiscais e contratação privilegiada.

Fez saber que com certificação dos micros, pequenas e médias empresas, pelo menos os proprietários ficam a saber qual é a classificação e dimensão da empresa calculável na taxa fiscal a pagar na Administração Geral Tributária (AGT).

“No passado, os gestores das empresas não certificadas ao pagavam impostos acima do valor real,  por  não entenderem esses detalhes, mas agora já é diferente”, afirmou.

Disse que para usufruir dos benefícios, os empreendedores devem realizar a certificação das respectivas empresas, no sentido de terem condições e facilidade para aumentar o volume de negócio.

José Valeriano de Carvalho reiterou que a instituição está aberta para maior colaboração com os empresários locais, na criação de facilidades para aquisição da certificação e outros procedimentos legais realizados pelo órgão, para um empresariado cada vez mais forte e organizado.