Kangamba notificado para actualizar créditos

  • Empresário Bento dos Santos "Kangamba"
Luanda - O empresário e político Bento dos Santos “Kangamba” foi notificado, através de um anúncio publicado nas páginas na edição de hoje do Jornal de Angola, para, num prazo de cinco dias, comparecer nas instalações da Recredit – Gestão de Activos.

Segundo a notificação com carácter de urgência, Bento Kangamba e outras 13 entidades, singulares e colectivas, têm assuntos de seu interesse a tratar junto da Direcção de Desenvolvimento de Negócios da Recredit.

Enquanto instituição vocacionada a recuperar activos creditícios, a Recredit lança mãos aos pedidos de comparência para tratar assuntos ligados ao crédito que esteja em atraso ou em resposta a uma solicitação revisão, renegociação ou resolução de uma das partes.

Com o core business (negócio nuclear) de cobrar dividas, fundamentalmente crédito mal parado e fazer a sua cobrança junto dos mutuários, a Recredit leva a cabo, desde 2016, um processo de limpeza dos activos tóxicos na carteira de resultados do Banco de Poupança e Crédito (BPC).

Foi nesta perspectiva, que comprou 951 mil milhões de kwanzas, 80 por cento da carteira de crédito mal parado do BPC, maior banco público.

Em termos de resultado, já recuperou uma dívida de 1,5 mil milhões de kwanzas em crédito concedido pelo Banco de Poupança e Crédito, amortizada por um grupo empresarial, sendo o primeiro caso registado.

 


 

Segundo a notificação com carácter de urgência, Bento Kangamba e outras 13 entidades, singulares e colectivas, têm assuntos de seu interesse a tratar junto da Direcção de Desenvolvimento de Negócios da Recredit.

Enquanto instituição vocacionada a recuperar activos creditícios, a Recredit lança mãos aos pedidos de comparência para tratar assuntos ligados ao crédito que esteja em atraso ou em resposta a uma solicitação revisão, renegociação ou resolução de uma das partes.

Com o core business (negócio nuclear) de cobrar dividas, fundamentalmente crédito mal parado e fazer a sua cobrança junto dos mutuários, a Recredit leva a cabo, desde 2016, um processo de limpeza dos activos tóxicos na carteira de resultados do Banco de Poupança e Crédito (BPC).

Foi nesta perspectiva, que comprou 951 mil milhões de kwanzas, 80 por cento da carteira de crédito mal parado do BPC, maior banco público.

Em termos de resultado, já recuperou uma dívida de 1,5 mil milhões de kwanzas em crédito concedido pelo Banco de Poupança e Crédito, amortizada por um grupo empresarial, sendo o primeiro caso registado.