Kwanzáfrica investe USD 4 milhões na suinicultura

  • Criação de suínos
Quela - Quatro milhões de dólares foram investidos, pela Fazenda Kwanzáfrica, localizada no município de Quela (Malanje), na criação e comercialização de porcos.

Anualmente, a fazenda comercializa, nas grandes superfícies comerciais de Luanda, sete mil e 400 porcos, com cerca de 100 quilogramas cada um.

A informação foi prestada à ANGOP, pelo gestor da fazenda, Luís Castro, dando conta que, actualmente, contam com 400 matrizes reprodutoras e mil 175 leitões na engorda.

A fazenda existe há dois anos e a intenção, adiantou, é atingir a meta de 12 mil porcos/ano, em 2022, e 32 mil, nos anos subsequentes, para a produção de carne, estando, por isso, em obras construção de um matadouro, com capacidade de abate de 90 animais por dia, numa primeira fase.

Para além de porcos, a fazenda dispõe de 100 cabeças de gado bovino, número que será elevado, nos próximos tempos, para diversificar a produção de carne na fazenda.

Luís Castro fez saber que a segunda fase da fazenda prevê a montagem de uma fábrica de enchidos, de modo a abastecer o mercado nacional.

Para facilitar este processo, pediu ao Governo local, no sentido de reabilitar os 17 quilómetros de estrada, que liga a sede municipal à fazenda, tendo em conta o seu estado avançado de degradação.

Por outro lado, Luís Castro aconselhou os jovens a acreditarem nas potencialidades de Angola, com vista ao alcance da auto-suficiência alimentar, o que, na sua opinião, exige persistência e trabalho árduo.

O governador de Malanje, Norberto dos Santos, destacou a importância de projectos do género, para o processo de diversificação económica e geração de emprego, tendo reiterado o contínuo apoio do Governo para que mais iniciativas de criação animal ou agrícola possam ser instaladas na província.

Implementada numa área de 11 mil hectares, a fazenda Kwanzáfrica já empregou 45 jovens.

O município do Quela dista 115 quilómetros da cidade de Malanje.

Anualmente, a fazenda comercializa, nas grandes superfícies comerciais de Luanda, sete mil e 400 porcos, com cerca de 100 quilogramas cada um.

A informação foi prestada à ANGOP, pelo gestor da fazenda, Luís Castro, dando conta que, actualmente, contam com 400 matrizes reprodutoras e mil 175 leitões na engorda.

A fazenda existe há dois anos e a intenção, adiantou, é atingir a meta de 12 mil porcos/ano, em 2022, e 32 mil, nos anos subsequentes, para a produção de carne, estando, por isso, em obras construção de um matadouro, com capacidade de abate de 90 animais por dia, numa primeira fase.

Para além de porcos, a fazenda dispõe de 100 cabeças de gado bovino, número que será elevado, nos próximos tempos, para diversificar a produção de carne na fazenda.

Luís Castro fez saber que a segunda fase da fazenda prevê a montagem de uma fábrica de enchidos, de modo a abastecer o mercado nacional.

Para facilitar este processo, pediu ao Governo local, no sentido de reabilitar os 17 quilómetros de estrada, que liga a sede municipal à fazenda, tendo em conta o seu estado avançado de degradação.

Por outro lado, Luís Castro aconselhou os jovens a acreditarem nas potencialidades de Angola, com vista ao alcance da auto-suficiência alimentar, o que, na sua opinião, exige persistência e trabalho árduo.

O governador de Malanje, Norberto dos Santos, destacou a importância de projectos do género, para o processo de diversificação económica e geração de emprego, tendo reiterado o contínuo apoio do Governo para que mais iniciativas de criação animal ou agrícola possam ser instaladas na província.

Implementada numa área de 11 mil hectares, a fazenda Kwanzáfrica já empregou 45 jovens.

O município do Quela dista 115 quilómetros da cidade de Malanje.