Leilão de diamantes brutos rende USD 56,6 milhões à SODIAM

  • Zonas de exploração de diamante na província da Lunda Norte
Luanda – A empresa SODIAM embolsou cerca de 56 milhões 645 mil dólares, resultado do terceiro leilão de diamantes brutos, realizado esta quinta-feira, em Luanda.

O montante resulta especificamente da licitação de diamantes especiais das minas de Uari, Lulo, Catoca e Luele, cujas sessões de avaliação das propostas, que foram submetidas por via electrónica, decorreram entre os dias 9 e 23 do corrente mês.

No total, a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM E.P) arrecadou 56 milhões, 645 mil 764 dólares e 77 cêntimos.

Além do conjunto diversificado de pedras especiais, esteve igualmente à venda um lote de composição “run-of-mine” (minério bruto) variado em todos os tamanhos da produção do kimberlito Luele da região de Luaxe, indica uma nota da empresa. 

“Um pacote com regras detalhadas de participação foi fornecido aos participantes, e as marcações para visualização foram feitas através do endereço: booking@sodiamsales.com”, explica o documento a que a Angop teve acesso hoje.

Nesta sessão, encerrada às 11h00 de hoje, participaram mais de 50 empresas das principais praças diamantíferas mundiais.

O primeiro leilão de diamantes ocorreu em Fevereiro de 2019, à luz da nova política de comercialização de diamantes, enquanto o segundo realizou-se em Dezembro do mesmo ano.

Devido à Covid-19, não foi possível a realização de leilões em 2020, sendo que para o presente acto de arrematação foram tomadas todas as medidas de precaução e biossegurança exigidas pelas autoridades competentes para o controlo e combate à referida pandemia.

No formato actual de leilão, para a cerimónia de compra de diamantes, as empresas participantes apresentam as suas licitações de forma remota, em modelo fechado, na plataforma electrónica “online” criada para o efeito, modelo que gera maior transparência no processo e permite obter um maior valor comercial para as pedras disponíveis.

Apesar das restrições impostas pela Covid-19, o terceiro leilão de diamantes confirmou-se como o maior até ao momento, em termos de participação e valor arrecadado.

Fundada em 1999, a SODIAM E.P é a empresa estatal responsável pela comercialização da produção dos diamantes de Angola.

As produções vendidas até à presente data resultam de doze produções, entre kimberlíticas e aluvionares, e cobrem todo o espectro de qualidades em termos de tamanhos, modelos, purezas e cores.

No ano passado, essa companhia vendeu mais de 7,7 milhões de quilates em bruto, por um valor total de mil e 13 milhões de dólares, correspondendo a um preço médio de USD/Ct 130,90, posicionando Angola como o terceiro maior produtor mundial de diamantes em bruto em termos de valor.

O montante resulta especificamente da licitação de diamantes especiais das minas de Uari, Lulo, Catoca e Luele, cujas sessões de avaliação das propostas, que foram submetidas por via electrónica, decorreram entre os dias 9 e 23 do corrente mês.

No total, a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM E.P) arrecadou 56 milhões, 645 mil 764 dólares e 77 cêntimos.

Além do conjunto diversificado de pedras especiais, esteve igualmente à venda um lote de composição “run-of-mine” (minério bruto) variado em todos os tamanhos da produção do kimberlito Luele da região de Luaxe, indica uma nota da empresa. 

“Um pacote com regras detalhadas de participação foi fornecido aos participantes, e as marcações para visualização foram feitas através do endereço: booking@sodiamsales.com”, explica o documento a que a Angop teve acesso hoje.

Nesta sessão, encerrada às 11h00 de hoje, participaram mais de 50 empresas das principais praças diamantíferas mundiais.

O primeiro leilão de diamantes ocorreu em Fevereiro de 2019, à luz da nova política de comercialização de diamantes, enquanto o segundo realizou-se em Dezembro do mesmo ano.

Devido à Covid-19, não foi possível a realização de leilões em 2020, sendo que para o presente acto de arrematação foram tomadas todas as medidas de precaução e biossegurança exigidas pelas autoridades competentes para o controlo e combate à referida pandemia.

No formato actual de leilão, para a cerimónia de compra de diamantes, as empresas participantes apresentam as suas licitações de forma remota, em modelo fechado, na plataforma electrónica “online” criada para o efeito, modelo que gera maior transparência no processo e permite obter um maior valor comercial para as pedras disponíveis.

Apesar das restrições impostas pela Covid-19, o terceiro leilão de diamantes confirmou-se como o maior até ao momento, em termos de participação e valor arrecadado.

Fundada em 1999, a SODIAM E.P é a empresa estatal responsável pela comercialização da produção dos diamantes de Angola.

As produções vendidas até à presente data resultam de doze produções, entre kimberlíticas e aluvionares, e cobrem todo o espectro de qualidades em termos de tamanhos, modelos, purezas e cores.

No ano passado, essa companhia vendeu mais de 7,7 milhões de quilates em bruto, por um valor total de mil e 13 milhões de dólares, correspondendo a um preço médio de USD/Ct 130,90, posicionando Angola como o terceiro maior produtor mundial de diamantes em bruto em termos de valor.