Levantamento de dinheiro a partir de TPA é ilegal

  • Clientes no interior do Supermercado FRESMART EXPRESS
Luanda – O administrador executivo da EMIS, Joaquim Caniço, disse hoje que o levantamento de dinheiro a partir de Terminal de Pagamento Automático (TPA), em lojas de comerciantes, é uma prática ilegal que será formalizada dentro dos próximos meses.

Num debate sobre o tema “ O sistema bancário nacional e as respostas às necessidades dos cidadãos”, realizado hoje pela Rádio Nacional de Angola (RNA), o gestor explicou que nas comunidades onde houver comerciantes com TPA, já será possível o utente de Multicaixa fazer levantamentos.

A propósito do assunto, o economista António Stote, um dos intervenientes do debate, realçou que o levantamento através de TPA em lojecas nas diversas comunidades  já é uma realidade.

Disse também que os direitos autorais dessa iniciativa são do mercado e não da EMIS – Empresa Interbancária de Serviços.

Retorquindo, Joaquim Caniço explicou que, nos termos em que está ser feita hoje, o levantamento por TPA é uma operação indevida, pois não está regulada.

A EMIS começou o seu percurso como operadora de pagamentos da comunidade bancária angolana desde 2002, com a responsabilidade de gerir infra-estruturas e serviços partilhados pelos prestadores de serviços de pagamentos, incluindo a gestão de mais de seis milhões de cartões da marca Multicaixa, que asseguram para cima de 70 milhões de operações por mês.

A rede Multicaixa opera vários canais de pagamento, nomeadamente os TPA (Terminais de Pagamentos Automático), para pagamentos presenciais em estabelecimentos comerciais, os CA (Caixas Automáticas), o Multicaixa Express e a GPO (Gateway de Pagamentos Online), para pagamentos não presenciais ligados ao comércio electrónico.

Num debate sobre o tema “ O sistema bancário nacional e as respostas às necessidades dos cidadãos”, realizado hoje pela Rádio Nacional de Angola (RNA), o gestor explicou que nas comunidades onde houver comerciantes com TPA, já será possível o utente de Multicaixa fazer levantamentos.

A propósito do assunto, o economista António Stote, um dos intervenientes do debate, realçou que o levantamento através de TPA em lojecas nas diversas comunidades  já é uma realidade.

Disse também que os direitos autorais dessa iniciativa são do mercado e não da EMIS – Empresa Interbancária de Serviços.

Retorquindo, Joaquim Caniço explicou que, nos termos em que está ser feita hoje, o levantamento por TPA é uma operação indevida, pois não está regulada.

A EMIS começou o seu percurso como operadora de pagamentos da comunidade bancária angolana desde 2002, com a responsabilidade de gerir infra-estruturas e serviços partilhados pelos prestadores de serviços de pagamentos, incluindo a gestão de mais de seis milhões de cartões da marca Multicaixa, que asseguram para cima de 70 milhões de operações por mês.

A rede Multicaixa opera vários canais de pagamento, nomeadamente os TPA (Terminais de Pagamentos Automático), para pagamentos presenciais em estabelecimentos comerciais, os CA (Caixas Automáticas), o Multicaixa Express e a GPO (Gateway de Pagamentos Online), para pagamentos não presenciais ligados ao comércio electrónico.