Digitalizado serviço de licenciamento de instituições financeiras

  • Banco Nacional de Angola
Luanda - O serviço de licenciamento das instituições financeiras, sob supervisão do Banco Nacional de Angola (BNA), passa, a partir desta sexta-feira, de físico para digital.

Actualmente, o BNA tem sob sua supervisão 26 instituições financeiras bancárias e 33 não bancárias, em todo o país.

No quadro da modernização dos seus serviços e fazendo face à pandemia da Covid-19, o Banco Central apresentou, esta quinta-feira, por videoconferência, o novo portal do Sistema de Licenciamento de Instituições Financeiras bancárias e não bancárias (SILIF).

Alojado no portal oficial do BNA, a ferramenta on-line, apresentada aos promotores de instituições financeiras, expõe as funcionalidades do SILIF no domínio da criação e gestão de processos de licenciamento de forma centralizada.

O referido Sistema Integrado de Licenciamento das Instituições Financeiras vai permitir efectuar a apresentação de processos de licenciamento de forma mais célere, intuitiva e digital, reduzindo a necessidade de deslocações e de envio de documentação em formato físico, em alguns casos.

Numa primeira fase, no SILIF as instituições financeiras poderão efectuar o registo on-line de solicitações, com pré-validação automática da informação inserida, anexar toda a documentação de suporte necessária e receber notificações via e-mail, além de poderem observar a evolução do estado do processo.

A ferramenta suporta processos como as alterações estatutárias, aquisição e aumento de participações qualificadas, autorização para a constituição de instituições financeiras, comunicação de diminuição de participações qualificadas.

Constituem, entre outros, os serviços a serem prestados, dissolução voluntária de instituições financeiras, emissão de parecer para vistos de trabalho, fusão/cisão e registo especial de membros dos órgãos se forem titulares de cargos.

O instrumento foi apresentado pela directora do Departamento de Regulação e Organização do Sistema Financeiro do BNA, Carla Gomes, tendo avançado as vantagens deste novo sistema, entre as quais a submissão de documentos a partir de qualquer parte do mundo.

Segundo a técnica sénior do BNA, o Portal não terá qualquer alteração que contrarie os procedimentos legais vigentes, ou seja, as mesmas regras exigidas antes do lançamento da ferramenta electrónica serão inseridas no novo sistema.

Uma das vantagens do novo sistema será a comodidade na tramitação dos processos, ao contrário do anterior em que os promotores eram obrigados, para aqueles que operam fora de Luanda, a enviar os documentos por correio terrestre e em outros casos, via aérea.

Com o novo sistema, o BNA afirma concretizar mais um passo em direcção à melhoria da sua eficiência operacional e simplificação de processos, particularmente, nesta fase em que o mundo enfrenta a pandemia da Covid-19, que tem impulsionado a transformação digital das organizações, especialmente no que concerne à necessidade de menor tramitação de processos físicos.

Actualmente, o BNA tem sob sua supervisão 26 instituições financeiras bancárias e 33 não bancárias, em todo o país.

No quadro da modernização dos seus serviços e fazendo face à pandemia da Covid-19, o Banco Central apresentou, esta quinta-feira, por videoconferência, o novo portal do Sistema de Licenciamento de Instituições Financeiras bancárias e não bancárias (SILIF).

Alojado no portal oficial do BNA, a ferramenta on-line, apresentada aos promotores de instituições financeiras, expõe as funcionalidades do SILIF no domínio da criação e gestão de processos de licenciamento de forma centralizada.

O referido Sistema Integrado de Licenciamento das Instituições Financeiras vai permitir efectuar a apresentação de processos de licenciamento de forma mais célere, intuitiva e digital, reduzindo a necessidade de deslocações e de envio de documentação em formato físico, em alguns casos.

Numa primeira fase, no SILIF as instituições financeiras poderão efectuar o registo on-line de solicitações, com pré-validação automática da informação inserida, anexar toda a documentação de suporte necessária e receber notificações via e-mail, além de poderem observar a evolução do estado do processo.

A ferramenta suporta processos como as alterações estatutárias, aquisição e aumento de participações qualificadas, autorização para a constituição de instituições financeiras, comunicação de diminuição de participações qualificadas.

Constituem, entre outros, os serviços a serem prestados, dissolução voluntária de instituições financeiras, emissão de parecer para vistos de trabalho, fusão/cisão e registo especial de membros dos órgãos se forem titulares de cargos.

O instrumento foi apresentado pela directora do Departamento de Regulação e Organização do Sistema Financeiro do BNA, Carla Gomes, tendo avançado as vantagens deste novo sistema, entre as quais a submissão de documentos a partir de qualquer parte do mundo.

Segundo a técnica sénior do BNA, o Portal não terá qualquer alteração que contrarie os procedimentos legais vigentes, ou seja, as mesmas regras exigidas antes do lançamento da ferramenta electrónica serão inseridas no novo sistema.

Uma das vantagens do novo sistema será a comodidade na tramitação dos processos, ao contrário do anterior em que os promotores eram obrigados, para aqueles que operam fora de Luanda, a enviar os documentos por correio terrestre e em outros casos, via aérea.

Com o novo sistema, o BNA afirma concretizar mais um passo em direcção à melhoria da sua eficiência operacional e simplificação de processos, particularmente, nesta fase em que o mundo enfrenta a pandemia da Covid-19, que tem impulsionado a transformação digital das organizações, especialmente no que concerne à necessidade de menor tramitação de processos físicos.