Mais de 12 milhões queixam-se dos bancos

  • Banco de Poupança e Crédito
Luanda - Doze milhões, 279 mil e 963 clientes apresentaram reclamações, no terceiro trimestre deste ano, no portal do Departamento de Conduta Financeira do Banco Nacional de Angola (BNA) contra os bancos comerciais.

Dos total, dois milhões 949 mil e 961 utentes queixaram-se contra o Banco de Poupança e Crédito (BPC).

As transferências e contas de depósito a ordem destacaram-se entre as queixas apresentadas pelos utentes. Os clientes queixaram-se mais do BPC, que liderou a lista com mais reclamados.

Com menos 92 casos em comparação ao mesmo período homólogo, o mês de Setembro registou mais reclamações, representando 44% do volume total, com números que apontam os 277.

Segundo o documento do Banco Central a que a ANGOP teve acesso, no mês de Julho, os números fixaram-se em 170 e em Agosto em 180.

Apesar dos número de reclamações registadas, o BNA diz ser baixo, considerando que em média, apenas 4,6 clientes em cada 100 mil apresentaram reclamações contra as instituições financeiras de grande dimensão e uma média de 4,3 clientes em cada 50 mil  reclamaram contra as instituições de média e pequena dimensões.

Em relação às matérias mais reclamadas, aponta as transferências e às contas de depósitos a ordem, congregam 45% das inquietações apresentadas ao BNA pelos utentes do sector bancário, com 154 e 126 queixas, respectivamente.

Operação não efectuada/reconhecida e a morosidade na realização da operação consta também entre as reclamações apresentadas contra as instituições financeiras bancárias.

Já para as contas de depósito a ordem, os utentes bancários apontam movimentação indevida, não disponibilização de numerário e comissões/despesas.

Os clientes queixaram-se ainda devido a operações cambiais com o estrangeiro, máquina ATM/TPA, crédito ao consumo, à habitação, outros tipos de crédito, cartões de débito, contas ordenado cobranças, prestação de serviço, cartões de crédito, pré-pagos, internet banking, contas de depósito a prazo, descobertos bancários, cheques e mobile banking.

 BPC lidera ranking

No relatório do terceiro trimestre, o Banco de Poupança e Crédito (BPC) aparece na lista como o de maior dimensão com mais reclamações apresentadas pelos utentes, com 134 queixas, seguido do Banco Millennium Atlântico, com 92, o Banco Angolano de Investimentos (BAI), com 86.

Ainda na lista de reclamações contra os bancos de grande dimensão, está o Banco de Fomento Angola (BFA) com 77, segundo do Banco Sol, com 54, e o BIC com 53.

Em relação às instituições financeiras bancárias de média e pequenas dimensões, a lista aponta o Banco Yetu (23), o Caixa Geral de Angola (22), o Banco de Comércio e Indústria (17), o Banco Económico ( 15), o Standard Bank Angola (07), entre outros num total de 14 bancos.

Dos total, dois milhões 949 mil e 961 utentes queixaram-se contra o Banco de Poupança e Crédito (BPC).

As transferências e contas de depósito a ordem destacaram-se entre as queixas apresentadas pelos utentes. Os clientes queixaram-se mais do BPC, que liderou a lista com mais reclamados.

Com menos 92 casos em comparação ao mesmo período homólogo, o mês de Setembro registou mais reclamações, representando 44% do volume total, com números que apontam os 277.

Segundo o documento do Banco Central a que a ANGOP teve acesso, no mês de Julho, os números fixaram-se em 170 e em Agosto em 180.

Apesar dos número de reclamações registadas, o BNA diz ser baixo, considerando que em média, apenas 4,6 clientes em cada 100 mil apresentaram reclamações contra as instituições financeiras de grande dimensão e uma média de 4,3 clientes em cada 50 mil  reclamaram contra as instituições de média e pequena dimensões.

Em relação às matérias mais reclamadas, aponta as transferências e às contas de depósitos a ordem, congregam 45% das inquietações apresentadas ao BNA pelos utentes do sector bancário, com 154 e 126 queixas, respectivamente.

Operação não efectuada/reconhecida e a morosidade na realização da operação consta também entre as reclamações apresentadas contra as instituições financeiras bancárias.

Já para as contas de depósito a ordem, os utentes bancários apontam movimentação indevida, não disponibilização de numerário e comissões/despesas.

Os clientes queixaram-se ainda devido a operações cambiais com o estrangeiro, máquina ATM/TPA, crédito ao consumo, à habitação, outros tipos de crédito, cartões de débito, contas ordenado cobranças, prestação de serviço, cartões de crédito, pré-pagos, internet banking, contas de depósito a prazo, descobertos bancários, cheques e mobile banking.

 BPC lidera ranking

No relatório do terceiro trimestre, o Banco de Poupança e Crédito (BPC) aparece na lista como o de maior dimensão com mais reclamações apresentadas pelos utentes, com 134 queixas, seguido do Banco Millennium Atlântico, com 92, o Banco Angolano de Investimentos (BAI), com 86.

Ainda na lista de reclamações contra os bancos de grande dimensão, está o Banco de Fomento Angola (BFA) com 77, segundo do Banco Sol, com 54, e o BIC com 53.

Em relação às instituições financeiras bancárias de média e pequenas dimensões, a lista aponta o Banco Yetu (23), o Caixa Geral de Angola (22), o Banco de Comércio e Indústria (17), o Banco Económico ( 15), o Standard Bank Angola (07), entre outros num total de 14 bancos.