Falta de chuva compromete produção de 500 hectares de arroz em Luquembo

Luquembo - Quinhentos hectares de arroz de produtores familiares estão na iminência de secar no município de Luquembo, a 275 quilómetros da cidade de Malanje, devido à escassez de chuva na região, informou à Angop, o administrador local, Alcino Sibala.

Segundo o responsável, desde o mês de Dezembro último que não chove naquele município, situação que afecta sobretudo a produção de arroz, cultivado em solos pantanosos.

Explicou que nesta área de 500 hectares de plantio prevê-se a colheita de 600 toneladas de arroz, caso chova nos próximos dias.

Acrescentou que a estiagem está também a afectar consideráveis áreas de cultivo de feijão, ginguba e milho, causando prejuízo a cinco mil famílias detentoras da referida produção.

Fez saber que em consequência da seca, cerca de 125 hectares de produção diversa secaram, no último trimestre de 2020.

Alcino Siabala precisou que a Administração local está sem meios para dar resposta à situação, temendo que as perdas venham a agudizar as dificuldades dos produtores.

De recordar que a província de Malanje atingiu, em 2020, uma produção de 20 mil toneladas de arroz, sendo 19 mil 900 do sector empresarial e 100 do sector familiar, este último do município do Luquembo.

No segmento familiar, 40 das 100 toneladas foram comercializadas, enquanto a outra parte foi usada como moeda de troca para a aquisição de outros produtos essenciais.

A compra do cereal aos produtores familiares não acontecia há muitos anos, tendo sido retomada nas duas últimas campanhas agrícolas, o que tem impulsionado o alargamento das áreas de cultivo por parte dos agregados.

Com uma extensão de 10 mil 971 quilómetros quadrados, o município de Luquembo é constituído pelas comunas de Dombwa Zanga, Rimba, Cunga Palanca, Capunda e Quimbango.

 

Segundo o responsável, desde o mês de Dezembro último que não chove naquele município, situação que afecta sobretudo a produção de arroz, cultivado em solos pantanosos.

Explicou que nesta área de 500 hectares de plantio prevê-se a colheita de 600 toneladas de arroz, caso chova nos próximos dias.

Acrescentou que a estiagem está também a afectar consideráveis áreas de cultivo de feijão, ginguba e milho, causando prejuízo a cinco mil famílias detentoras da referida produção.

Fez saber que em consequência da seca, cerca de 125 hectares de produção diversa secaram, no último trimestre de 2020.

Alcino Siabala precisou que a Administração local está sem meios para dar resposta à situação, temendo que as perdas venham a agudizar as dificuldades dos produtores.

De recordar que a província de Malanje atingiu, em 2020, uma produção de 20 mil toneladas de arroz, sendo 19 mil 900 do sector empresarial e 100 do sector familiar, este último do município do Luquembo.

No segmento familiar, 40 das 100 toneladas foram comercializadas, enquanto a outra parte foi usada como moeda de troca para a aquisição de outros produtos essenciais.

A compra do cereal aos produtores familiares não acontecia há muitos anos, tendo sido retomada nas duas últimas campanhas agrícolas, o que tem impulsionado o alargamento das áreas de cultivo por parte dos agregados.

Com uma extensão de 10 mil 971 quilómetros quadrados, o município de Luquembo é constituído pelas comunas de Dombwa Zanga, Rimba, Cunga Palanca, Capunda e Quimbango.