Angola ganha primeiros licenciados em tecnologia agro-alimentar

Malanje - Os 30 primeiros angolanos formados no país em engenharia de tecnologia agro-alimentar estão ao dispor do mercado de trabalho, após a recepção, na sexta-feira, dos diplomas.

Trata-se dos primeiros licenciados do então Instituto Superior de Tecnologia Agro-alimentar de Malanje, actual Instituto de Tecnologia Agro-alimentar.

A propósito, o governador de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”,  considerou histórico a província e o país ganharem os primeiros quadros nacionais formados localmente desde o alcance da independência.

Conforme o governador, ganha maior destaque por  se tratar de quadros necessários para catapultar a economia, promover a inovação e a investigação científica e tecnológica do país, face a preocupação do governo de formação de recursos humanos qualificados.

RAvançou que, sendo a agricultura e a agro-indústria prioridades do governo, com os engenheiros formados, abre-se uma grande expectativa em torno do contributo dos mesmos na transformação de produtos de origem animal e vegetal para o consumo humano.

“Contamos com esses quadros no apoio aos empresários de Malanje, e não só, na concepção, implementação e gestão de projectos  agrícolas e da indústria transformadora de alimentos, para dar valor a produção nacional e reduzir as importações”, frisou.

Norberto dos Santos apelou ainda os engenheiros para enveredarem pelo empreendedorismo e contínua investigação científica, rumo a inovação, tendo em conta a área de formação.

Por seu turno, o director geral da instituição,  Guilherme Pereira, destacou que o facto de serem os primeiros engenheiros de tecnologia agro-alimentar do país assumem uma responsabilidade acrescida no domínio da economia transformadora, pelo que deverão se dedicar aos desafios que se impõe para corresponder com as expectativas do Executivo.

A instituição é o único estabelecimento de ensino superior em Angola vocacionado a formação de engenheiros de tecnologia agro-alimentar.

A 13 de Outubro ganhou novas instalações inauguradas pelo Presidente da República, João Lourenço,  no âmbito de um memorando entre o Executivo Angolano e a França, rubricado em 2008, baseado num protocolo de apoio, reestruturação e formação tecnológica para cidadãos angolanos.

Antes funcionava, provisoriamente, em salas anexas do Colégio Amílcar Cabral, na cidade de Malanje.

 

Trata-se dos primeiros licenciados do então Instituto Superior de Tecnologia Agro-alimentar de Malanje, actual Instituto de Tecnologia Agro-alimentar.

A propósito, o governador de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”,  considerou histórico a província e o país ganharem os primeiros quadros nacionais formados localmente desde o alcance da independência.

Conforme o governador, ganha maior destaque por  se tratar de quadros necessários para catapultar a economia, promover a inovação e a investigação científica e tecnológica do país, face a preocupação do governo de formação de recursos humanos qualificados.

RAvançou que, sendo a agricultura e a agro-indústria prioridades do governo, com os engenheiros formados, abre-se uma grande expectativa em torno do contributo dos mesmos na transformação de produtos de origem animal e vegetal para o consumo humano.

“Contamos com esses quadros no apoio aos empresários de Malanje, e não só, na concepção, implementação e gestão de projectos  agrícolas e da indústria transformadora de alimentos, para dar valor a produção nacional e reduzir as importações”, frisou.

Norberto dos Santos apelou ainda os engenheiros para enveredarem pelo empreendedorismo e contínua investigação científica, rumo a inovação, tendo em conta a área de formação.

Por seu turno, o director geral da instituição,  Guilherme Pereira, destacou que o facto de serem os primeiros engenheiros de tecnologia agro-alimentar do país assumem uma responsabilidade acrescida no domínio da economia transformadora, pelo que deverão se dedicar aos desafios que se impõe para corresponder com as expectativas do Executivo.

A instituição é o único estabelecimento de ensino superior em Angola vocacionado a formação de engenheiros de tecnologia agro-alimentar.

A 13 de Outubro ganhou novas instalações inauguradas pelo Presidente da República, João Lourenço,  no âmbito de um memorando entre o Executivo Angolano e a França, rubricado em 2008, baseado num protocolo de apoio, reestruturação e formação tecnológica para cidadãos angolanos.

Antes funcionava, provisoriamente, em salas anexas do Colégio Amílcar Cabral, na cidade de Malanje.