Programa de alívio económico beneficia empresas em Malanje

Malanje- Três das oito empresas operadoras de comércio e distribuição, que aderiram ao programa de alívio económico, em Malanje, já receberam os valores, anunciou, nesta quinta-feira, a directora em exercício do Gabinete Provincial de Desenvolvimento Económico e Integrado, Carla Vaz Ferreira.

De acordo com a responsável, trata-se das empresas Maramb Lda, contemplada com 180 milhões, 51 mil e 726 kwanzas, Xirimbimbi e Filhos (70 milhões, 539 mil e 529 Kwanzas) e Luís de Oliveira Baltazar com Akz 32 milhões, 907 mil e 500.

Carla Ferreira informou que o Gabinete de Desenvolvimento Económico e Integrado está a efectuar o acompanhamento do processo de levantamento dos produtos do campo e respectivos preços, com vista a aquisição e venda nos centros de consumo.

“As empresas contempladas estão à procura de produtos do campo”, realçou, acrescentando que os operadores de Malanje estão também a pesquisar produtos em outras províncias do país.

A responsável considera que, com o programa de alívio económico, a província ganha no domínio da economia, devido a possibilidade de escoamento dos produtos do campo para a cidade e a criação de postos de emprego para a juventude, com o surgimento de lojas de campo.

O programa de alívio económico foi aprovado pelo Executivo em Abril deste ano, visando acudir as micros, pequenas e médias empresas do sector produtivo que tenham dificuldades financeiras devido aos efeitos da Covid-19.

O programa é financiado pelo BDA (Banco de Desenvolvimento de Angola) e conta com um valor de 488 mil milhões de kwanzas para as dezoito províncias do país.

Em Malanje, concorrem 8 empresas, mas até ao momento foram aprovadas sete e financiadas apenas três.

 

 

De acordo com a responsável, trata-se das empresas Maramb Lda, contemplada com 180 milhões, 51 mil e 726 kwanzas, Xirimbimbi e Filhos (70 milhões, 539 mil e 529 Kwanzas) e Luís de Oliveira Baltazar com Akz 32 milhões, 907 mil e 500.

Carla Ferreira informou que o Gabinete de Desenvolvimento Económico e Integrado está a efectuar o acompanhamento do processo de levantamento dos produtos do campo e respectivos preços, com vista a aquisição e venda nos centros de consumo.

“As empresas contempladas estão à procura de produtos do campo”, realçou, acrescentando que os operadores de Malanje estão também a pesquisar produtos em outras províncias do país.

A responsável considera que, com o programa de alívio económico, a província ganha no domínio da economia, devido a possibilidade de escoamento dos produtos do campo para a cidade e a criação de postos de emprego para a juventude, com o surgimento de lojas de campo.

O programa de alívio económico foi aprovado pelo Executivo em Abril deste ano, visando acudir as micros, pequenas e médias empresas do sector produtivo que tenham dificuldades financeiras devido aos efeitos da Covid-19.

O programa é financiado pelo BDA (Banco de Desenvolvimento de Angola) e conta com um valor de 488 mil milhões de kwanzas para as dezoito províncias do país.

Em Malanje, concorrem 8 empresas, mas até ao momento foram aprovadas sete e financiadas apenas três.