Marivel compra produção nacional com financiamento do Estado

  • Huíla: Produção de uvas no Perimetro Irrigado da Humpata
Lubango -  A empresa  Marivel , da província da Huíla, iniciou, segunda-feira, o processo de compra da produção nacional, com as primeiras duas toneladas de produtos diversos, avaliadas em 22 milhões 590 mil  de AKZ, no âmbito do financiamento  do alívio económico  de 200 milhões de AKZ.

Tratam-se de  27 mil e 875 quilogramas de farinha de milho,  500kg de farelo de milho, adquiridos na fazenda Agricuvango no município do Cuvango, 30 mil kg de açúcar, no valor de oito milhões e 625 kwanzas.

A Marivel adquiriu ainda mil quilogramas de arroz, dois mil quilogramas de farinha de trigo, mil quilogramas de feijão preto, no valor  de total de 13 milhões 219 mil e 997AKZ, a empresa “Bem Barato”.

Já na  empresa  Marirosa, no município do Lobito, Benguela, foram adquiridos 100 quilogramas de farinha de bombó,  200 kg de farinha musseque, igual quantidade de café  e 20 litros de mel, que custaram  745 mil Akz.

Todos esses bens adquiridos serão revendidos na sua rede de comércio a grosso e a retalho, entre os quais um supermecado no Lubango.

Em declarações à imprensa,  o director dos Recursos Humanos da referida empresa,  Jaime Salatiel, disse que ser a primeira fase, por estarem em período de experimentação, devido ao facto de não conhecerem na totalidade as empresas que produzem, sobretudo o açúcar e arroz.

“Neste momento nada está barato, mas existe sempre uma maneira de conseguirmos lucrar, não importa se a percentagem é de um ou dois porcento, o mais importante para nós é movimentarmos os valores de modos a fazer chegar o produto a população”, realçou.

Com esse  financiamento, a Marivel  gerou  mais  20 empregos directos,  elevando-se para 115 o número de trabalhadores que, para além de supermercados, dispõe de uma fábrtica de plásticos finaciada pelo BDA.

 

Tratam-se de  27 mil e 875 quilogramas de farinha de milho,  500kg de farelo de milho, adquiridos na fazenda Agricuvango no município do Cuvango, 30 mil kg de açúcar, no valor de oito milhões e 625 kwanzas.

A Marivel adquiriu ainda mil quilogramas de arroz, dois mil quilogramas de farinha de trigo, mil quilogramas de feijão preto, no valor  de total de 13 milhões 219 mil e 997AKZ, a empresa “Bem Barato”.

Já na  empresa  Marirosa, no município do Lobito, Benguela, foram adquiridos 100 quilogramas de farinha de bombó,  200 kg de farinha musseque, igual quantidade de café  e 20 litros de mel, que custaram  745 mil Akz.

Todos esses bens adquiridos serão revendidos na sua rede de comércio a grosso e a retalho, entre os quais um supermecado no Lubango.

Em declarações à imprensa,  o director dos Recursos Humanos da referida empresa,  Jaime Salatiel, disse que ser a primeira fase, por estarem em período de experimentação, devido ao facto de não conhecerem na totalidade as empresas que produzem, sobretudo o açúcar e arroz.

“Neste momento nada está barato, mas existe sempre uma maneira de conseguirmos lucrar, não importa se a percentagem é de um ou dois porcento, o mais importante para nós é movimentarmos os valores de modos a fazer chegar o produto a população”, realçou.

Com esse  financiamento, a Marivel  gerou  mais  20 empregos directos,  elevando-se para 115 o número de trabalhadores que, para além de supermercados, dispõe de uma fábrtica de plásticos finaciada pelo BDA.