Mercado de Títulos regista aumento de Kz mais de mil milhões em 2020

  • Kwanza, moeda angolana
Luanda – O negócio dos investidores no Mercado de Bolsa de Títulos de Tesouro (MBTT), em 2020, rendeu 1.187,03 biliões de kwanzas, representando um aumento de 36 por cento em relação a 2019, soube esta sexta-feira a ANGOP.

Segundo a Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), o Mercado Primário de Dívida Pública manteve o apoio ao Estado angolano, com a operacionalização dos leilões de Títulos do Tesouro (TT), que permitiu a disponibilização de 847 mil milhões de kwanzas.

Em nota de imprensa, chegada hoje à ANGOP, a BODIVA realça ainda que, no período em análise, se registou um aumento de 31 por cento no número de contas custodiadas na Central de Valores Mobiliários (CEVAMA), enquanto na pós-negociação verificou-se um decréscimo de cinco por cento do montante de títulos.

Entre as várias acções desenvolvidas em 2020, a BODIVA aponta ainda o contínuo apoio à gestão do Portal do Investidor e a operacionalização dos instrutivos nº 06/2020 e 09/2020 do Banco Nacional de Angola (BNA) como medida de estímulo às empresas no contexto do Estado de Emergência.

De igual forma, a Bolsa de Dívida e Valores de Angola  destaca também a desmaterialização das acções ordinárias do Banco de Comércio e Indústria (BCI), que foram integradas na CEVAMA, cumprindo-se assim um dos requisitos para a abertura de capital da empresa.

A instituição realça ainda a celebração de acordos de cooperação com associações empresariais e o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), com o objectivo de apresentar às associadas as oportunidades do mercado de capitais como actividades que se destacaram em 2020.

A BODIVA é uma entidade gestora que visa assegurar a transparência, eficiência e segurança das transacções nos mercados regulamentados de valores mobiliários, com o objectivo de estimular a participação de pequenos investidores e a concorrência entre todos os operadores.

Por outro lado, o Mercado de Bolsa de Títulos do Tesouro (MBTT) é o segmento que permite aos investidores negociarem obrigações e bilhetes do tesouro de uma forma segura e transparente e ao mesmo tempo beneficiar de liquidez e profundidade de mercado superior relativamente a outros segmentos de dívida soberana.

Segundo a Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), o Mercado Primário de Dívida Pública manteve o apoio ao Estado angolano, com a operacionalização dos leilões de Títulos do Tesouro (TT), que permitiu a disponibilização de 847 mil milhões de kwanzas.

Em nota de imprensa, chegada hoje à ANGOP, a BODIVA realça ainda que, no período em análise, se registou um aumento de 31 por cento no número de contas custodiadas na Central de Valores Mobiliários (CEVAMA), enquanto na pós-negociação verificou-se um decréscimo de cinco por cento do montante de títulos.

Entre as várias acções desenvolvidas em 2020, a BODIVA aponta ainda o contínuo apoio à gestão do Portal do Investidor e a operacionalização dos instrutivos nº 06/2020 e 09/2020 do Banco Nacional de Angola (BNA) como medida de estímulo às empresas no contexto do Estado de Emergência.

De igual forma, a Bolsa de Dívida e Valores de Angola  destaca também a desmaterialização das acções ordinárias do Banco de Comércio e Indústria (BCI), que foram integradas na CEVAMA, cumprindo-se assim um dos requisitos para a abertura de capital da empresa.

A instituição realça ainda a celebração de acordos de cooperação com associações empresariais e o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), com o objectivo de apresentar às associadas as oportunidades do mercado de capitais como actividades que se destacaram em 2020.

A BODIVA é uma entidade gestora que visa assegurar a transparência, eficiência e segurança das transacções nos mercados regulamentados de valores mobiliários, com o objectivo de estimular a participação de pequenos investidores e a concorrência entre todos os operadores.

Por outro lado, o Mercado de Bolsa de Títulos do Tesouro (MBTT) é o segmento que permite aos investidores negociarem obrigações e bilhetes do tesouro de uma forma segura e transparente e ao mesmo tempo beneficiar de liquidez e profundidade de mercado superior relativamente a outros segmentos de dívida soberana.