Governo realiza consulta sobre linha de transporte de electricidade

Moçâmedes - O governo da província do Namibe realizou, hoje, uma consulta com membros da sociedade civil, estudantes, autoridades tradicionais e responsáveis de diferentes organismos, sobre o impacto ambiental e social do projecto de linha de transporte de electricidade de 220 KV Huila/Namibe.

Na ocasião, os participantes foram informados que á nível da província do Namibe, apenas os municípios de Moçâmedes e Tômbwa dispõem de electricidade da rede pública, com fornecimento regular e estável.

Daí a implementação deste projecto que está ainda na fase de consulta pública, para que seja aprovado.

O ambientalista Eduardo Ferdinand, que fez o enquadramento legal do referido projecto, explicou que, tendo em consideração os potenciais impactos negativos que envolvem programa do género, está a ser desenvolvido o estudo ambiental e social.

Esclareceu ainda que o projecto irá incluir a  implantação de uma linha de transporte de energia com uma extensão de aproximadamente 190 quilómetros e a construção de uma subestação de 220/60KV na cidade de Moçãmedes , no bairro da Aida, com uma área de aproximadamente sete hectares.

A linha de transmissão ira passar por quatro municípios nomeadamente, Lubango e Humpata (Huíla), Bibala e Moçâmedes (Namibe).

 Esta rota passará paralelamente a actual linha de 60 KV que liga a subestação da cidade do Lubango à Moçâmedes.

A fase da construção irá decorrer entre 24 a 30 meses, esperando que o mesmo tenha uma vida útil de 40 anos.

Os participantes apresentaram algumas sugestões como a definição de espaços para reassentamento das comunidades que actualmente vivem nas áreas onde passará a linha de energia, o repovoamento florestal, já que algumas árvores serão derrubadas neste perímetro, e melhor divulgação deste projecto no seio das comunidades autóctones.

O processo de auscultação vai decorrer até Dezembro deste ano nas províncias do Namibe e Huila.

Na ocasião, os participantes foram informados que á nível da província do Namibe, apenas os municípios de Moçâmedes e Tômbwa dispõem de electricidade da rede pública, com fornecimento regular e estável.

Daí a implementação deste projecto que está ainda na fase de consulta pública, para que seja aprovado.

O ambientalista Eduardo Ferdinand, que fez o enquadramento legal do referido projecto, explicou que, tendo em consideração os potenciais impactos negativos que envolvem programa do género, está a ser desenvolvido o estudo ambiental e social.

Esclareceu ainda que o projecto irá incluir a  implantação de uma linha de transporte de energia com uma extensão de aproximadamente 190 quilómetros e a construção de uma subestação de 220/60KV na cidade de Moçãmedes , no bairro da Aida, com uma área de aproximadamente sete hectares.

A linha de transmissão ira passar por quatro municípios nomeadamente, Lubango e Humpata (Huíla), Bibala e Moçâmedes (Namibe).

 Esta rota passará paralelamente a actual linha de 60 KV que liga a subestação da cidade do Lubango à Moçâmedes.

A fase da construção irá decorrer entre 24 a 30 meses, esperando que o mesmo tenha uma vida útil de 40 anos.

Os participantes apresentaram algumas sugestões como a definição de espaços para reassentamento das comunidades que actualmente vivem nas áreas onde passará a linha de energia, o repovoamento florestal, já que algumas árvores serão derrubadas neste perímetro, e melhor divulgação deste projecto no seio das comunidades autóctones.

O processo de auscultação vai decorrer até Dezembro deste ano nas províncias do Namibe e Huila.