Obras do troço Cacolo/Alto Chicapa paralisadas há um ano

  • Administrador Municipal do Cacolo, Adérito Cahanga
  • Obras de reabilitação da ponte sobre rio Mulengue  no município do Dala província da Lunda Sul
Saurimo – As obras de terraplanagem do troço que liga a sede municipal do Cacolo a comuna do Alto Chicapa (Lunda Sul) estão paralisadas há um ano, por incapacidade técnica da empresa adjudicada, informou hoje, terça-feira, o administrador local, Adérito Cahanga.

Com uma extensão de 115 quilómetros, as obras, enquadradas no Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), arrancaram em Agosto de 2019, com duração de apenas seis meses.

Orçada em 170 milhões de kwanzas, a empreitada foi adjudicada à empresa de construção civil “Edsandra”, que já recebeu 107 milhões de kwanzas. 

No entanto, apenas foram limpos 30 quilómetros, dos 115, que comportam o troço.

Adérito Cahanga fez saber que a empresa não tem dado mostras de que realmente vai reatar os trabalhos, pelo facto de não existirem máquinas para dinamizar a actividade.

Avançou que a administração local tem estado a interagir com a empresa, no sentido de reatarem com os trabalhos, infelizmente não têm tido sucesso, o que tem criado várias dificuldades na circulação de pessoas e bens na municipalidade.

Por outro lado, na mesma situação encontram-se as obras de terraplanagem do troço que liga Saurimo/Sombo, com uma extensão de 120 quilómetros, adjudicada à mesma empresa, paralisada a sete meses, por incapacidade técnica.

Enquadrada no PIIM, a empreitada está orçada em 180 milhões de Kwanzas e as obras tiveram início em Agosto de 2020, com duração de seis meses.

Segundo o administrador municipal de Saurimo, Neves Romão, o nível de execução física ronda a 20 porcento, enquanto a  financeira a 60, e infelizmente regista-se uma paralisação nos trabalhos por parte da empresa.

Acrescentou que a administração tem encetado contactos com a referida empresa, que garante retomar as obras a qualquer momento, mas esforços estão a ser feitos no sentido de ainda esta semana reunirem-se com a mesma, para se chegar a algum consenso.

Sublinhou que o mau estado da estrada tem impedido o desenvolvimento da comuna, impossibilitando que o Governo coloque serviços sociais à disposição da população.

Face a está situação, o governador provincial da Lunda Sul, Daniel Neto, garantiu estar a trabalhar com os órgãos locais da administração da justiça, no sentido de responsabilizar a empresa.

 

Com uma extensão de 115 quilómetros, as obras, enquadradas no Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), arrancaram em Agosto de 2019, com duração de apenas seis meses.

Orçada em 170 milhões de kwanzas, a empreitada foi adjudicada à empresa de construção civil “Edsandra”, que já recebeu 107 milhões de kwanzas. 

No entanto, apenas foram limpos 30 quilómetros, dos 115, que comportam o troço.

Adérito Cahanga fez saber que a empresa não tem dado mostras de que realmente vai reatar os trabalhos, pelo facto de não existirem máquinas para dinamizar a actividade.

Avançou que a administração local tem estado a interagir com a empresa, no sentido de reatarem com os trabalhos, infelizmente não têm tido sucesso, o que tem criado várias dificuldades na circulação de pessoas e bens na municipalidade.

Por outro lado, na mesma situação encontram-se as obras de terraplanagem do troço que liga Saurimo/Sombo, com uma extensão de 120 quilómetros, adjudicada à mesma empresa, paralisada a sete meses, por incapacidade técnica.

Enquadrada no PIIM, a empreitada está orçada em 180 milhões de Kwanzas e as obras tiveram início em Agosto de 2020, com duração de seis meses.

Segundo o administrador municipal de Saurimo, Neves Romão, o nível de execução física ronda a 20 porcento, enquanto a  financeira a 60, e infelizmente regista-se uma paralisação nos trabalhos por parte da empresa.

Acrescentou que a administração tem encetado contactos com a referida empresa, que garante retomar as obras a qualquer momento, mas esforços estão a ser feitos no sentido de ainda esta semana reunirem-se com a mesma, para se chegar a algum consenso.

Sublinhou que o mau estado da estrada tem impedido o desenvolvimento da comuna, impossibilitando que o Governo coloque serviços sociais à disposição da população.

Face a está situação, o governador provincial da Lunda Sul, Daniel Neto, garantiu estar a trabalhar com os órgãos locais da administração da justiça, no sentido de responsabilizar a empresa.