PIIM com execução física de 70 por cento no Muconda

  • Lunda Sul: Administradora Municipal do Muconda, Maria Segunda
Muconda – As infra-estruturas do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em Muconda (província da Lunda Sul), estão executadas a 70 por cento e estarão concluídas este ano.

Tratam-se de 18 projectos de impacto social, avaliados em dois mil milhões, 225 milhões e 84 mil kwanzas, de construção de escolas, postos de saúde, residências para técnicos, expansão da rede eléctrica, bem como programas de saneamento básico nas três comunas que compõem o município (Muriege, Cassai-Sul e Chiluange).

Em declarações à ANGOP, a administradora municipal do Muconda, Maria Segunda, disse que, se os empreiteiros continuarem a cumprir com o estabelecido nos contratos, as obras estarão concluídas nos prazos previstos.

Sobre a execução financeira das empreitadas, disse terem sido desembolsados, até ao momento, cerca de Kz dois mil milhões, visto que a mesma depende da dinâmica das obras, sendo os valores cabimentados nas contas dos empreiteiros, tão logo os mesmos submetam ao Ministério das Finanças as facturas dos custos.

Neste sentido, apelou as empresas de fiscalização a continuarem rigorosas na sua actuação, para garantir a qualidade das obras e o cumprimento dos prazos contratuais.

Por outro lado, explicou que a construção de novas escolas permitirá a inserção de centenas de crianças no sistema de ensino, deixando de estudar debaixo de árvores e em casebres.

Salientou que o PIIM no Muconda criou 725 postos de trabalho, maioritariamente jovens, dos quais 421 são  indirectos.

Lançado em 2019 pelo Presidente da República, João Lourenço, o PIIM contempla a construção de infra-estruturas nos 164 municípios do país, num investimento total em Kwanza, no equivalente a dois mil milhões de dólares americanos, financiados pelo Fundo Soberano de Angola.

Tratam-se de 18 projectos de impacto social, avaliados em dois mil milhões, 225 milhões e 84 mil kwanzas, de construção de escolas, postos de saúde, residências para técnicos, expansão da rede eléctrica, bem como programas de saneamento básico nas três comunas que compõem o município (Muriege, Cassai-Sul e Chiluange).

Em declarações à ANGOP, a administradora municipal do Muconda, Maria Segunda, disse que, se os empreiteiros continuarem a cumprir com o estabelecido nos contratos, as obras estarão concluídas nos prazos previstos.

Sobre a execução financeira das empreitadas, disse terem sido desembolsados, até ao momento, cerca de Kz dois mil milhões, visto que a mesma depende da dinâmica das obras, sendo os valores cabimentados nas contas dos empreiteiros, tão logo os mesmos submetam ao Ministério das Finanças as facturas dos custos.

Neste sentido, apelou as empresas de fiscalização a continuarem rigorosas na sua actuação, para garantir a qualidade das obras e o cumprimento dos prazos contratuais.

Por outro lado, explicou que a construção de novas escolas permitirá a inserção de centenas de crianças no sistema de ensino, deixando de estudar debaixo de árvores e em casebres.

Salientou que o PIIM no Muconda criou 725 postos de trabalho, maioritariamente jovens, dos quais 421 são  indirectos.

Lançado em 2019 pelo Presidente da República, João Lourenço, o PIIM contempla a construção de infra-estruturas nos 164 municípios do país, num investimento total em Kwanza, no equivalente a dois mil milhões de dólares americanos, financiados pelo Fundo Soberano de Angola.