Preço da cesta diária da OPEP ficou em USD 63,37 o barril

  • As bacias do Baixo Congo e Kwanza são terrestres
Luanda - O preço da cesta de treze óleos crus da Organização dos Países Produtores e Exportadores de Petróleo, incluindo Angola, esteve na ordem dos USD 63,37 o barril na terça-feira, em comparação com USD 62,86 no dia anterior.

De acordo com cálculos da secretaria da OPEP, a que a Angop teve acesso no seu site oficial, a cesta de petróleo de referência da OPEP (ORB) é composta por Mistura do Sahara (Argélia), Girassol (Angola), Djeno (Congo), Zafiro (Guiné Equatorial), Rabi Light (Gabão), Iran Pesado (República Islâmica do Irã).

Fazem ainda parte da cesta, Basra Light (Iraque), Kuwait Export (Kuwait), Es Sider (Líbia), Bonny Light (Nigéria), Arab Light (Arábia Saudita), Murban (Emirados Árabes Unidos) e Merey (Venezuela).

Nesta quarta-feira, o Comité Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC), órgão da OPEP+, realiza por videoconferência, a sua 28ª reunião que vai ser co-presidida pelo príncipe Abdul Aziz Bin Salman, ministro da Energia da Arábia Saudita e Alexander Novak, vice-primeiro-ministro da Federação Russa.

O encontro analisa o relatório do Grupo Técnico Conjunto (JTC) relativo à evolução do mercado global de petróleo e seus níveis de conformidade durante o mês de Março, bem como as perspectivas para os meses subsequentes.

De acordo com o relatório sobre o Desenvolvimentos do Mercado de Petróleo e Níveis de Produção e Conformidade, apresentado neste evento, a produção de petróleo bruto para OPEP-10 (excluindo Irã I.R., Líbia e Venezuela) ficou em 21.011 tb/d em Fevereiro deste ano, menor em 1.108 tb/d do exigido nível de produção.

A produção de petróleo bruto nos países participantes não OPEP (excluindo o México) ficou a 13.010 tb/d em Fevereiro, 154 tb/d a mais do que os níveis de produção voluntária.

A produção total da OPEP-10 e dos países participantes não OPEP foi inferior em 954 tb/d do que o nível de produção exigido / voluntário no mês de Fevereiro.

A OPEP-10 e os países participantes não-OPEP alcançaram, em Fevereiro, nível geral de conformidade de 124% e 94%, respectivamente, de acordo com o documento a que a Angop teve acesso, apresentado na reunião do Comité Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC).

O nível geral de conformidade para países participantes não-OPEP com OPEP-10 foi de 113% em Fevereiro último.

Desta produção de petróleo bruto f 2.123 tb/d foram produzidos pelo Irã I.R, 1.175 tb/d pela Líbia e 252 pela Venezuela.

Em 2020, estimou-se que a demanda mundial de petróleo tenha diminuído em 9,60 mb/d e que deverá aumentar em 5,63 mb/d em 2021, tendo como base as previsões da economia global estimadas em 5,0%, contra os - 3,7% de 2020.

Apesar das incertezas da Covid-19, a OPEP que viu reduzir a produção de líquidos não pertencentes à si (OPEP), em 2020, em 2,56 mb/d, prevê aumento de 0,95 mb/d neste ano de 2021.

O fornecimento de petróleo nos EUA que diminuiu, vem 2020, 0,81 mb/d tem projecções de aumentar em 0,16 mb/d neste ano de 2021.

A República de Angola está a presidir a presidência da OPEP desde o início deste ano.

Actualmente, os níveis de produção de Crude rondam os 1.2 milhões de barris/dia.

 

De acordo com cálculos da secretaria da OPEP, a que a Angop teve acesso no seu site oficial, a cesta de petróleo de referência da OPEP (ORB) é composta por Mistura do Sahara (Argélia), Girassol (Angola), Djeno (Congo), Zafiro (Guiné Equatorial), Rabi Light (Gabão), Iran Pesado (República Islâmica do Irã).

Fazem ainda parte da cesta, Basra Light (Iraque), Kuwait Export (Kuwait), Es Sider (Líbia), Bonny Light (Nigéria), Arab Light (Arábia Saudita), Murban (Emirados Árabes Unidos) e Merey (Venezuela).

Nesta quarta-feira, o Comité Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC), órgão da OPEP+, realiza por videoconferência, a sua 28ª reunião que vai ser co-presidida pelo príncipe Abdul Aziz Bin Salman, ministro da Energia da Arábia Saudita e Alexander Novak, vice-primeiro-ministro da Federação Russa.

O encontro analisa o relatório do Grupo Técnico Conjunto (JTC) relativo à evolução do mercado global de petróleo e seus níveis de conformidade durante o mês de Março, bem como as perspectivas para os meses subsequentes.

De acordo com o relatório sobre o Desenvolvimentos do Mercado de Petróleo e Níveis de Produção e Conformidade, apresentado neste evento, a produção de petróleo bruto para OPEP-10 (excluindo Irã I.R., Líbia e Venezuela) ficou em 21.011 tb/d em Fevereiro deste ano, menor em 1.108 tb/d do exigido nível de produção.

A produção de petróleo bruto nos países participantes não OPEP (excluindo o México) ficou a 13.010 tb/d em Fevereiro, 154 tb/d a mais do que os níveis de produção voluntária.

A produção total da OPEP-10 e dos países participantes não OPEP foi inferior em 954 tb/d do que o nível de produção exigido / voluntário no mês de Fevereiro.

A OPEP-10 e os países participantes não-OPEP alcançaram, em Fevereiro, nível geral de conformidade de 124% e 94%, respectivamente, de acordo com o documento a que a Angop teve acesso, apresentado na reunião do Comité Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC).

O nível geral de conformidade para países participantes não-OPEP com OPEP-10 foi de 113% em Fevereiro último.

Desta produção de petróleo bruto f 2.123 tb/d foram produzidos pelo Irã I.R, 1.175 tb/d pela Líbia e 252 pela Venezuela.

Em 2020, estimou-se que a demanda mundial de petróleo tenha diminuído em 9,60 mb/d e que deverá aumentar em 5,63 mb/d em 2021, tendo como base as previsões da economia global estimadas em 5,0%, contra os - 3,7% de 2020.

Apesar das incertezas da Covid-19, a OPEP que viu reduzir a produção de líquidos não pertencentes à si (OPEP), em 2020, em 2,56 mb/d, prevê aumento de 0,95 mb/d neste ano de 2021.

O fornecimento de petróleo nos EUA que diminuiu, vem 2020, 0,81 mb/d tem projecções de aumentar em 0,16 mb/d neste ano de 2021.

A República de Angola está a presidir a presidência da OPEP desde o início deste ano.

Actualmente, os níveis de produção de Crude rondam os 1.2 milhões de barris/dia.