PREI operacionaliza 99% do financiamento das Medidas do Alívio Económico

  • Aviário
Luanda – O Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI) permitiu executar, até ao momento, a Linha de Financiamento das Medidas do Alívio Económico em 99 por cento, de acordo com fonte do Ministério da Economia e Planeamento.

O chefe do Departamento para a Economia do Ministério da Economia e Planeamento, Jerónimo Pongolola, disse à ANGOP, esta terça-feira, em Luanda, que dos dois mil milhões de kwanzas disponibilizados nesta primeira fase para as sociedades de micro-créditos, mais de um milhão e 900 mil kwanzas foram disponibilizados.

Detalhou que nesta altura mil e 400 projectos foram financiados em todo o país, com realce para as províncias do Huambo, com cerca 638 projectos aprovados, Luanda (362), Huíla (237) e Benguela (191).

Explicou que, na segunda fase, vão trabalhar com os governos províncias, no sentido de se atribuir quotas, de acordo com a capacidade de cada uma das províncias, depois de a primeira etapa ter sido "muito bem implementada".

A propósito deste assunto, o secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, informou que pelo facto de a execução financeira estar acima dos 90 por cento, na última semana não foram registados pedidos de crédito.

“Desde a operacionalização da Linha de Financiamento de Micro-crédito das Medidas do Alívio Económico, foram registados dois mil 365 pedidos, num valor aproximado de Kz 5,5 mil milhões”, sublinhou, adiantando que o stock de financiamento situa-se em Kz 1,9 mil milhões.

Afirmou que o Decreto Presidencial 98/20 já permitiu a formalização de mil e 62 micro e pequenas empresas, de um total de dois mil micro-empreendedores previstos até final de 2022, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Nacional (PDN).

De acordo com o responsável, desde a operacionalização da referida linha de micro-crédito, foram criados dois mil 461 postos de trabalho, dos quais mil e 207 a micro-empreendedores do sexo feminino e mil 254 do sexo masculino.

O chefe do Departamento para a Economia do Ministério da Economia e Planeamento, Jerónimo Pongolola, disse à ANGOP, esta terça-feira, em Luanda, que dos dois mil milhões de kwanzas disponibilizados nesta primeira fase para as sociedades de micro-créditos, mais de um milhão e 900 mil kwanzas foram disponibilizados.

Detalhou que nesta altura mil e 400 projectos foram financiados em todo o país, com realce para as províncias do Huambo, com cerca 638 projectos aprovados, Luanda (362), Huíla (237) e Benguela (191).

Explicou que, na segunda fase, vão trabalhar com os governos províncias, no sentido de se atribuir quotas, de acordo com a capacidade de cada uma das províncias, depois de a primeira etapa ter sido "muito bem implementada".

A propósito deste assunto, o secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, informou que pelo facto de a execução financeira estar acima dos 90 por cento, na última semana não foram registados pedidos de crédito.

“Desde a operacionalização da Linha de Financiamento de Micro-crédito das Medidas do Alívio Económico, foram registados dois mil 365 pedidos, num valor aproximado de Kz 5,5 mil milhões”, sublinhou, adiantando que o stock de financiamento situa-se em Kz 1,9 mil milhões.

Afirmou que o Decreto Presidencial 98/20 já permitiu a formalização de mil e 62 micro e pequenas empresas, de um total de dois mil micro-empreendedores previstos até final de 2022, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Nacional (PDN).

De acordo com o responsável, desde a operacionalização da referida linha de micro-crédito, foram criados dois mil 461 postos de trabalho, dos quais mil e 207 a micro-empreendedores do sexo feminino e mil 254 do sexo masculino.