Produção de cereais atinge 75% da meta do PDN

  • Armazenamento de milho (Foto ilustração)
Luanda – Angola já produziu, de 2018 até Junho deste ano, 2 milhões 957,9 mil toneladas cereais, entre milho, massango, massambala e arroz, correspondendo um grau de execução de 75,6% da meta do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022.

O PDN estabeleceu a meta produtiva, até 2022, de 3 milhões 623,2 mil toneladas de cereais.

Conforme o relatório de balanço da execução do plano no I Semestre deste ano, a produção de cereais foi de 844,4 mil toneladas, correspondendo a um grau de execução de 23,3%, quando comparado com a meta de 3.623,2 mil toneladas.

O documento ressalta que as actividades que concorrem para esses indicadores foram a disponibilidade atempada dos factores de produção (sementes, fertilizantes, pesticidas e insecticidas), equipamentos agrícolas (motobombas, charruas, kits de debulhadoras, colheitadeiras) e motocultivadoras para a preparação de terras.

A inscrição e o licenciamento de 12 novos operadores de sementes, renovação de licenças a 22 operadores, a construção de pequenos sistemas de regadios, a realização de acções de capacitação dos extensionistas fazem parte dos indicadores.

No entanto, recorda o relatório que o I semestre de 2021 foi caracterizado pela estiagem severa na região Sul, moderada na região Centro e Norte e quase inexistente na região Leste.

Neste cenário destaca-se as províncias do Cunene, Namibe, Huíla, Benguela, Huambo e Cuanza Sul.

O problema da praga do gafanhoto vermelho registada no sul do país (Cuando Cubango e Cunene) também foi nota de realce no sentido negativo do Relatório de Balanço da Execução do Plano de Desenvolvimento Nacional no I Semestre deste ano.

O PDN estabeleceu a meta produtiva, até 2022, de 3 milhões 623,2 mil toneladas de cereais.

Conforme o relatório de balanço da execução do plano no I Semestre deste ano, a produção de cereais foi de 844,4 mil toneladas, correspondendo a um grau de execução de 23,3%, quando comparado com a meta de 3.623,2 mil toneladas.

O documento ressalta que as actividades que concorrem para esses indicadores foram a disponibilidade atempada dos factores de produção (sementes, fertilizantes, pesticidas e insecticidas), equipamentos agrícolas (motobombas, charruas, kits de debulhadoras, colheitadeiras) e motocultivadoras para a preparação de terras.

A inscrição e o licenciamento de 12 novos operadores de sementes, renovação de licenças a 22 operadores, a construção de pequenos sistemas de regadios, a realização de acções de capacitação dos extensionistas fazem parte dos indicadores.

No entanto, recorda o relatório que o I semestre de 2021 foi caracterizado pela estiagem severa na região Sul, moderada na região Centro e Norte e quase inexistente na região Leste.

Neste cenário destaca-se as províncias do Cunene, Namibe, Huíla, Benguela, Huambo e Cuanza Sul.

O problema da praga do gafanhoto vermelho registada no sul do país (Cuando Cubango e Cunene) também foi nota de realce no sentido negativo do Relatório de Balanço da Execução do Plano de Desenvolvimento Nacional no I Semestre deste ano.