Receitas fiscais aumentam 15 por cento no Moxico

  • Delegado Provincial das Finanças no Moxico, António Manuel
Luena - Mais de 1,6 mil milhões de kwanzas de receitas fiscais foram arrecadados pela Delegação do Moxico das Finanças, nos primeiros quatro meses do ano em curso, registando-se um aumento de 15 por cento em relação a igual período de 2020.

O incremento de 15 por cento corresponde a 254 milhões de kwanzas, segundo o delegado local das Finanças, António Manuel, que falava à ANGOP à margem de uma reunião do governo provincial.

No primeiro quadrimestre de 2020, as receitas fiscais foram de mil milhões e 346 milhões de kwanzas.

Sem justificar as razões do aumento, informou que o Imposto de Rendimento Tributário (IRT), com 90 por cento de pagamento, continua a ser a maior fonte de receitas, seguido do imposto industrial e selo, respectivamente.

Apesar disso, o responsável fez saber que a quantidade de receitas continua abaixo do desejado, devido ao fraco investimento no sector privado que a província enfrenta, assim como ao baixo nível de cultura fiscal por parte dos cidadãos.

Entretanto, para se contrapor este indicador, a delegação provincial, junto com a Administração Geral Tributário (AGT) têm promovido campanhas de sensibilização dos cidadãos, com vista ao cumprimento das suas obrigações fiscais.

Paralelamente a esta iniciativa, disse que está em curso um programa que visa a expansão do portal do munícipe, programas radiofónicos, bem como aumento de postos de recolha de receitas, com objectivo de tornar os serviços mais próximos aos cidadãos e potencializar a arrecadação das receitas.

O incremento de 15 por cento corresponde a 254 milhões de kwanzas, segundo o delegado local das Finanças, António Manuel, que falava à ANGOP à margem de uma reunião do governo provincial.

No primeiro quadrimestre de 2020, as receitas fiscais foram de mil milhões e 346 milhões de kwanzas.

Sem justificar as razões do aumento, informou que o Imposto de Rendimento Tributário (IRT), com 90 por cento de pagamento, continua a ser a maior fonte de receitas, seguido do imposto industrial e selo, respectivamente.

Apesar disso, o responsável fez saber que a quantidade de receitas continua abaixo do desejado, devido ao fraco investimento no sector privado que a província enfrenta, assim como ao baixo nível de cultura fiscal por parte dos cidadãos.

Entretanto, para se contrapor este indicador, a delegação provincial, junto com a Administração Geral Tributário (AGT) têm promovido campanhas de sensibilização dos cidadãos, com vista ao cumprimento das suas obrigações fiscais.

Paralelamente a esta iniciativa, disse que está em curso um programa que visa a expansão do portal do munícipe, programas radiofónicos, bem como aumento de postos de recolha de receitas, com objectivo de tornar os serviços mais próximos aos cidadãos e potencializar a arrecadação das receitas.