Reposto fornecimento de gás de cozinha em Mbanza Kongo

  • Escassez de gás leva cidadãos a percorrer longas distâncias
Mbanza Kongo - A cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire, voltou a ser abastecida, desde sábado (06), de gás de cozinha, após nove dias sem o produto.

Duas das três agências licenciadas para a comercialização deste gás liquefeito de petróleo (GLP) voltaram, embora de forma tímida, a atender os clientes que aguardavam ansiosos pela chegada do produto.

A falta de gás de cozinha em Mbanza Kongo deveu-se a avarias, em bloco, dos camiões das três agências licenciadas para a revenda do produto, que impediu a sua transportação a partir de Luanda, segundo os gestores das referidas empresas.

Entretanto, as quantidades recebidas não correspondem à demanda da clientela, que aguarda pelo produto há cerca de duas semanas, daí as enormes filas defronte as agências.

Nsakala Pedro, gerente da agência localizada no bairro Martins Kidito, confirmou a chegada, na noite de sábado, de um camião com cerca de 300 garrafas de gás de cozinha de 12 quilogramas.

Disse que o lote recebido esgotou-se tão rapidamente, na manhã deste domingo, deixando muitos clientes sem o produto.

Um dos vendedores da agência “Organizações Massamba”, que preferiu o anonimato, informou terem recebido quantidades razoáveis, que também esgotaram na manhã deste domingo.

Avançou que, com a superação da avaria mecânica do camião da empresa, mais abastecimentos se seguirão nos próximos dias.

Em condições normais, uma garrafa de 12 quilogramas de gás de cozinha custa mil 600 Kwanzas em Mbanza Kongo, e a de 51 quilogramas é vendida a sete mil Kwanzas.

A cidade tem uma população estimada em mais de 155 mil habitantes.

Duas das três agências licenciadas para a comercialização deste gás liquefeito de petróleo (GLP) voltaram, embora de forma tímida, a atender os clientes que aguardavam ansiosos pela chegada do produto.

A falta de gás de cozinha em Mbanza Kongo deveu-se a avarias, em bloco, dos camiões das três agências licenciadas para a revenda do produto, que impediu a sua transportação a partir de Luanda, segundo os gestores das referidas empresas.

Entretanto, as quantidades recebidas não correspondem à demanda da clientela, que aguarda pelo produto há cerca de duas semanas, daí as enormes filas defronte as agências.

Nsakala Pedro, gerente da agência localizada no bairro Martins Kidito, confirmou a chegada, na noite de sábado, de um camião com cerca de 300 garrafas de gás de cozinha de 12 quilogramas.

Disse que o lote recebido esgotou-se tão rapidamente, na manhã deste domingo, deixando muitos clientes sem o produto.

Um dos vendedores da agência “Organizações Massamba”, que preferiu o anonimato, informou terem recebido quantidades razoáveis, que também esgotaram na manhã deste domingo.

Avançou que, com a superação da avaria mecânica do camião da empresa, mais abastecimentos se seguirão nos próximos dias.

Em condições normais, uma garrafa de 12 quilogramas de gás de cozinha custa mil 600 Kwanzas em Mbanza Kongo, e a de 51 quilogramas é vendida a sete mil Kwanzas.

A cidade tem uma população estimada em mais de 155 mil habitantes.