Secretária de Estado pede mais rapidez nas obras do PIIM

  • Aia-Eza Nacília Gomes da Silva, secretaria de Estado para o Orçamento e Investimentos Públicos
Malanje - A secretária de Estado do Orçamento e Investimentos Públicos, Aia-Eza da Silva, pediu esta sexta-feira, aos empreiteiros maior dinamismo na execução das obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em Malanje.

A responsável, que falava no final de uma visita aos projectos do PIIM nos municípios de Cacuso, Calandula, Malanje e Cangandala, disse que, não havendo grandes constrangimentos financeiros, urge a necessidade de se imprimir outro ritmo às obras, de modo a colocar os projectos a disposição da população.

Por outro lado, a secretária de Estado esclareceu que a diferenciação de preços entre obras com a mesma tipicidade, mas em localidades distintas tem a ver essencialmente com os acessos da zona a beneficiarem das acções.

Disse ainda estar em curso, no país, a revisão de preços de projectos subvalorizados e sobrevalorizados, com vista a esbater os acentuados desequilíbrios verificados em alguns casos.

A secretária de Estado do Orçamento e Investimentos Públicos iniciou, sexta-feira, uma jornada de trabalho de dois dias à província de Malanje, onde está a inteirar-se do andamento das obras do PIIM.

Para sábado, estão previstas visitas aos projectos dos municípios de Mucari e Cambundi-Catembo.

Lançado em Maio de 2020, o PIIM em Malanje tem uma carteira de 133 projectos, orçados em 26 mil milhões 718 milhões de kwanzas. 

Actualmente, 75 projectos estão em curso, com níveis de execução física e financeira a rondarem os 31 por cento.

Das acções inscritas, destacam-se 45 do sector da educação, 25 em vias de comunicação, 19 ligados as águas, 16 à saúde, 15 de limpeza e saneamento, reforço da capacidade institucional com seis projectos, energia com um e outros seis respeitantes às telecomunicações e construção de equipamentos urbanos.

A responsável, que falava no final de uma visita aos projectos do PIIM nos municípios de Cacuso, Calandula, Malanje e Cangandala, disse que, não havendo grandes constrangimentos financeiros, urge a necessidade de se imprimir outro ritmo às obras, de modo a colocar os projectos a disposição da população.

Por outro lado, a secretária de Estado esclareceu que a diferenciação de preços entre obras com a mesma tipicidade, mas em localidades distintas tem a ver essencialmente com os acessos da zona a beneficiarem das acções.

Disse ainda estar em curso, no país, a revisão de preços de projectos subvalorizados e sobrevalorizados, com vista a esbater os acentuados desequilíbrios verificados em alguns casos.

A secretária de Estado do Orçamento e Investimentos Públicos iniciou, sexta-feira, uma jornada de trabalho de dois dias à província de Malanje, onde está a inteirar-se do andamento das obras do PIIM.

Para sábado, estão previstas visitas aos projectos dos municípios de Mucari e Cambundi-Catembo.

Lançado em Maio de 2020, o PIIM em Malanje tem uma carteira de 133 projectos, orçados em 26 mil milhões 718 milhões de kwanzas. 

Actualmente, 75 projectos estão em curso, com níveis de execução física e financeira a rondarem os 31 por cento.

Das acções inscritas, destacam-se 45 do sector da educação, 25 em vias de comunicação, 19 ligados as águas, 16 à saúde, 15 de limpeza e saneamento, reforço da capacidade institucional com seis projectos, energia com um e outros seis respeitantes às telecomunicações e construção de equipamentos urbanos.