TAAG retoma voos para a Lunda Norte

  • Angola precisa explorar outros sistemas de transportes para ligar pessoas, regiões e países
Dundo - A TAAG – Linhas Aéreas de Angola retoma, a partir de 21 deste mês, os voos de Luanda para a cidade do Dundo, província da Lunda Norte.

A informação foi avançada hoje pelo chefe de escala da companhia na província da Lunda Norte, António Braça.

Numa primeira fase, que vai de 21 de Dezembro 2020 a 27 de Março de 2021, os voos terão uma frequência semanal, todas as segundas-feiras.  

Os custo dos bilhetes, actualizados, variam dos 30 mil Kwanzas (AKz), apenas com pasta de mão, AKz 94 mil, com cargas abaixo dos 20 quilogramas (classe económica) e AKz 186 mil a AKz 205 mil, com bagagem abaixo dos 30 quilogramas, nas classes económica e executiva.

Antes da suspensão dos voos, em Março do ano em curso, o preço praticado era de 60 mil Kwanzas (classe económica) e 80 mil Akz (classe executiva).

António Braça disse estarem criadas as condições de biossegurança no aeroporto de Kamaquenzo e de testagem para o regresso de voos comerciais à Lunda Norte, através de novas aeronaves (DAES 8-400).

A venda dos bilhetes, que teve início segunda-feira, está a ser feita de forma presencial e online, sob fortes medidas de biossegurança no aeroporto de Kamaquenzo.

A aeronave DAES 8- 400, de pequeno porte, com uma capacidade para 74 lugares, 64 na classe económica e 10 na executiva, foram adquiridos pelo Executivo, este ano, substituindo o Boeng 737.

No âmbito da prevenção e combate a propagação de casos da covid-19, o Governo angolano fixou medidas, entre as quais o encerramento das fronteiras terrestres, marítimas e aéreas, permitindo apenas a circulação rodoviártia que transportam produtos da cesta básica, fármacos e material de construção.

A informação foi avançada hoje pelo chefe de escala da companhia na província da Lunda Norte, António Braça.

Numa primeira fase, que vai de 21 de Dezembro 2020 a 27 de Março de 2021, os voos terão uma frequência semanal, todas as segundas-feiras.  

Os custo dos bilhetes, actualizados, variam dos 30 mil Kwanzas (AKz), apenas com pasta de mão, AKz 94 mil, com cargas abaixo dos 20 quilogramas (classe económica) e AKz 186 mil a AKz 205 mil, com bagagem abaixo dos 30 quilogramas, nas classes económica e executiva.

Antes da suspensão dos voos, em Março do ano em curso, o preço praticado era de 60 mil Kwanzas (classe económica) e 80 mil Akz (classe executiva).

António Braça disse estarem criadas as condições de biossegurança no aeroporto de Kamaquenzo e de testagem para o regresso de voos comerciais à Lunda Norte, através de novas aeronaves (DAES 8-400).

A venda dos bilhetes, que teve início segunda-feira, está a ser feita de forma presencial e online, sob fortes medidas de biossegurança no aeroporto de Kamaquenzo.

A aeronave DAES 8- 400, de pequeno porte, com uma capacidade para 74 lugares, 64 na classe económica e 10 na executiva, foram adquiridos pelo Executivo, este ano, substituindo o Boeng 737.

No âmbito da prevenção e combate a propagação de casos da covid-19, o Governo angolano fixou medidas, entre as quais o encerramento das fronteiras terrestres, marítimas e aéreas, permitindo apenas a circulação rodoviártia que transportam produtos da cesta básica, fármacos e material de construção.